Publicidade

Estado de Minas

Minas Gerais registra três mortes por dengue neste ano

No total, houve 22.454 casos prováveis até 11 de junho; na capital, foram confirmados 214, sem óbitos


postado em 15/06/2018 21:01 / atualizado em 15/06/2018 21:53

A maior incidência (divisão proporcional de 100 casos por 100 mil habitantes) de casos em Minas Gerais fica por conta de Lagoa Grande, no Noroeste do estado, com a taxa de 613,3(foto: James Gathany/CDC)
A maior incidência (divisão proporcional de 100 casos por 100 mil habitantes) de casos em Minas Gerais fica por conta de Lagoa Grande, no Noroeste do estado, com a taxa de 613,3 (foto: James Gathany/CDC)
Conceição do Pará (Centro-Oeste), Uberaba (Triângulo Mineiro) e Moema (Centro-Oeste): essas são as cidades onde a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) confirmou mortes causadas pela dengue em 2018. De acordo com a pasta, outros 13 óbitos ainda são investigados no estado.


Apesar das vidas perdidas, o número de casos no estado é positivo na comparação aos anos anteriores. Até aqui, 22.331 casos prováveis foram mapeados até maio, número menor que nos anos 2016, 2015, 2014, 2013, 2011 e 2010, considerando o mesmo período.


A maior incidência de casos em Minas Gerais proporcionalmente à população está em Lagoa Grande, no Noroeste do estado. Montalvânia (Norte), Lagoa da Prata (Centro-Oeste), Visconde do Rio Branco (Zona da Mata) e Manga (Norte) complementam os cinco maiores índices.


Em Belo Horizonte, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), 214 casos foram confirmados, sem mortes. A pasta ainda investiga outras 636 ocorrências. A região mais afetada, até aqui, é a Nordeste, com 37 confirmações, enquanto a Norte ostenta o menor índice, com 14 diagnósticos.


Febre chikungunya e zika Depois de atingir o maior número de diagnósticos de febre chikungunya em 2017 (16.323), Minas Gerais já registrou 8.667 casos neste ano, 53% do total do ano passado. Entretanto, nenhuma morte foi confirmada neste ano, contra 15 óbitos do ano passado. Na capital, a SMSA mapeou oito pessoas atingidas pela enfermidade.


Quanto ao zika vírus, a Secretaria Estado de Saúde computou 222 casos prováveis, sendo 60 gestantes, com sete a partir de confirmação laboratorial. Na capital, foram notificados 26 casos de zika. Entre as suspeitas, duas foram confirmadas para a doença, 21 descartadas e três continuam em investigação.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade