Publicidade

Estado de Minas

Operação contra facção criminosa prende envolvidos com onda de ataques em Minas

A ação aconteceu em Minas Gerais e outros 13 estados. Foram cumpridos oito mandados de prisão no território mineiro, sendo cinco dentro de unidades prisionais


postado em 14/06/2018 17:43 / atualizado em 14/06/2018 17:58

Em Minas as ações ocorreram nas cidades de Poços de Caldas, Pouso Alegre, Guaxupé, Extrema, Divinópolis, Passos, Itaú de Minas, Alfenas, Sacramento, Caxambu e Fortaleza de Minas(foto: Polícia Civil / Divulgação)
Em Minas as ações ocorreram nas cidades de Poços de Caldas, Pouso Alegre, Guaxupé, Extrema, Divinópolis, Passos, Itaú de Minas, Alfenas, Sacramento, Caxambu e Fortaleza de Minas (foto: Polícia Civil / Divulgação)

A operação conjunta entre a Polícia Civil de Minas Gerais e o Ministério Público de São Paulo contra uma organização criminosa que atua no país terminou com oito mandados de prisão cumpridos. Destes, três pessoas estavam em liberdade e outras cinco já se encontravam em uma unidade do sistema prisional do estado. Entre os alvos estão envolvidos na onda de violência em território mineiros nas últimas semanas.

A ação foi montada depois de troca de informações entre as forças de segurança de Minas Gerais e de São Paulo. A estratégia possibilitou que integrantes das organizações criminosas envolvidos nos ataques fossem identificados.

Ao todo, foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisão. Em Minas, as ações aconteceram em Poços de Caldas, Pouso Alegre, Guaxupé, Extrema, Passos, Caxambu, Alfenas, Fortaleza de Minas, na Região Sul, Divinópolis, na Região Centro-Oeste, e Sacramento, no Alto Paranaíba.  Em São Paulo, policiais fizeram buscas em Presidente Venceslau. Foram apreendidas drogas, computadores, celulares, documentos e materiais que servirão de base para as investigações.

Operação contou com 320 policiais de Minas Gerais e São Paulo(foto: Polícia Civil / Divulgação)
Operação contou com 320 policiais de Minas Gerais e São Paulo (foto: Polícia Civil / Divulgação)


“Atuamos conjuntamente em uma importante operação para cumprimento de diversos mandados em nosso Estado. As organizações criminosas não têm fronteiras e podem ficar cientes de que as polícias têm trabalhado juntas e darão as prontas-respostas que a população merece”, afirmou o Chefe de Departamento em Poços de Caldas, Delegado-geral Bráulio Stivanin Júnior.

As três prisões dos alvos que estavam fora da cadeira aconteceram em Guaxupé. Os outros cinco mandados de prisão foram cumpridos no Sistema Prisional de Minas Gerais.

A operação foi chamada de Echelon, que significa escalão e remete à hierarquia nas organizações criminosas. Ao todo, 250 policiais civis de São Paulo e cerca de 70 de Minas Gerais, incluindo a Coordenadoria de Operações Especiais (CORE), participaram da ação.

Onda de violência


Minas Gerais passou por uma onda de violência. Segundo a Polícia Militar, desde o início dos ataques a veículos e imóveis, em 3 de junho, 67 ônibus foram incendiados em 40 cidades mineiras. Noventa pessoas foram detidas suspeitas dos crimes e 26 adolescentes foram apreendidos.

Em nota, a Secretaria de Administração Prisional (Seap) informou que as investigações estão por conta da Polícia Civil. "Todas as denúncias devidamente formalizadas na Seap são apuradas nos termos da lei", acrescentou a pasta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade