Publicidade

Estado de Minas

Preso em SP membro de quadrilha que enviava drogas em granito de Minas para Europa

O homem, que tem nacionalidade colombiana, foi encontrado nesta quinta-feira. Agentes da Polícia Federal (PF) contaram com a ajuda da Polícia Nacional da Colômbia para identificar o local onde o procurado se encontrava. A organização criminosa era investigada desde 2016


postado em 14/06/2018 12:31 / atualizado em 14/06/2018 13:53

A droga era colocada dentro de blocos de granito(foto: Policia Federal (PF) / Divulgacao )
A droga era colocada dentro de blocos de granito (foto: Policia Federal (PF) / Divulgacao )

Mais um integrante de uma quadrilha especializada em tráfico internacional de drogas que agia em Belo Horizonte e em Nova Lima, na Grande BH, foi preso pela Polícia Federal (PF). O homem, que tem nacionalidade colombiana, foi encontrado em São Paulo. Os agentes contaram com a ajuda da Polícia Nacional da Colômbia para identificar o local onde o procurado se encontrava. A organização criminosa era investigada desde 2016.

A prisão do colombiano, que não teve o nome divulgado, aconteceu nesta quinta-feira. Com as informações colhidas pela PF e a polícia colombiana, agentes conseguiram encontrar o homem em São Paulo. Ele estava com a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal. O preso será transferido para Belo Horizonte.

Ver galeria . 12 Fotos Grupo montou um esquema de transportar cocaína para a Europa em blocos de granitoPolícia Federal (PF) / Divulgação
Grupo montou um esquema de transportar cocaína para a Europa em blocos de granito (foto: Polícia Federal (PF) / Divulgação )


As investigações contra a quadrilha foram iniciadas em fevereiro de 2016. Segundo a PF, o grupo alugou imóveis na capital mineira e em Nova Lima e criou uma empresa fictícia. Os agentes identificaram movimentações dos traficantes, a montagem da estrutura e a logística para a exportação da droga. Além de registros de compradores e fornecedores do entorpecente.

A PF identificou a exportação de sete blocos de granito acondicionados em contêineres, que foram enviados para a Espanha, entreposto na Antuérpia, Bélgica. A transação foi feito por meio de portos de Vitória, no Espírito Santo, e no Rio de Janeiro.  A carga foi vistoriada pela polícia belga e foram apreendidos 1.020 quilos de cocaína. A droga estava oculta em dois blocos de granito.

Para tentar enganar a polícia, a quadrilha transferiu os equipamentos e estrutura de logística, da empresa de fachada, para a região metropolitana de Vitória. Os materiais foram colocados em um galpão alugado. Os integrantes da organização deixaram o país, segundo a PF.   Em maio do ano passado, 13 pessoas foram indiciadas pelo crime.

Em junho, o homem apontado como o líder da organização criminosa foi preso em Madri, na Espanha. O criminoso estava na lista vermelha da Interpol e tinha mandado de prisão aberto na Justiça Federal de Belo Horizonte. De acordo com a PF, ele era o responsável por coordenar e supervisar o financiamento das operações de envio e venda de cocaína por meio de contêineres marítimos e aéreos entre países da América do Sul, dentre eles o Brasil, para a Europa.

Investigações da Polícia Nacional da Colômbia apontam que o criminoso mantinha relações com facções do clã do Golfo e Cordilleram, coordenando o embarque e comercialização de cocaína por meio de portos, para a venda aos carteis da Espanha, Bélgica e Itália. Ainda conforme a PF, o homem obteve uma documentação falsa para deixar a Espanha com destino á Itália. No país, o criminoso continuaria coordenado a venda de cocaína com traficantes na Bolívia, Peru e Brasil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade