Publicidade

Estado de Minas

Idoso desaparecido em BH é encontrado após caminhar até Sabará

Professor aposentado da UFMG se perdeu na manhã de terça e andou vários quilômetros até a cidade da grande BH, sendo encontrado hoje


postado em 13/06/2018 08:44 / atualizado em 13/06/2018 12:56

Cartaz com a foto de José Chagas Silveira foi divulgado ontem(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Cartaz com a foto de José Chagas Silveira foi divulgado ontem (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Alívio para a família de José Chagas da Silveira, de 81 anos, que estava desaparecido desde as 11h e terça-feira. O idoso foi encontrado na manhã desta quarta após caminhar cerca de 20 quilômetros até Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele dormiu na rua e foi encontrado por uma moradora em um ponto de ônibus do Bairro General Carneiro. 

Na manhã de terça, José aguardava sua mulher comprar remédios em uma drogaria localizada na Rua Curitiba, 1.923, na esquina com a Avenida Álvares Cabral, no Bairro de Lourdes, Região Centro-Sul de BH. “Ela entrou para comprar um medicamento e ele ficou esperando. Então, ele andou sozinho por volta de 10 minutos e as câmaras dos prédios vizinhos o filmaram, pela última vez, na Avenida do Contorno, 8.258”, contou Marco Aurélio Sathler à reportagem na tarde de ontem. O idoso sofre de demência senil doença que, segundo o genro, só o impede de andar sozinho, pelo risco de se perder. 

“Ele estava em Sabará. Foi caminhando ao longo da Avenida dos Andradas. Vinte anos atrás ele morava naquela região do Bairro Esplanada, foi como se estivesse voltando para casa”, explicou o genro do professor aposentado, Marco Aurélio Sathler. O aposentado dormiu na grama em uma rua. A família foi acionada às 6h de hoje. “Ele levantou de manhã agora, sentou em um ponto de ônibus em frente a Marcel Philippe (confecção), no Bairro General Carneiro. Uma senhora conversou com ele, ele se apresentou como professor e disse que estava tentando achar o caminho de casa”. 

Segundo Sathler, naquele momento, um policial militar, identificado como sargento Alexandre Moura, passou de moto a caminho do trabalho e viu José Chagas. Ao notar que as características dele batiam com a descrição divulgada ontem, acionou uma viatura e ele foi levado para uma delegacia. 

“Ele está cansado, com dores no corpo. Andou 20 quilômetros, estava desidratado, um pouco rouco. Eu sou médico, vou tentar atender ele aqui”, disse o genro do idoso, que agradeceu a divulgação do caso. 

Natural de Capitólio, no Sul do estado, José Chagas da Silveira é professor aposentado da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais, onde lecionou até meados de 1990. Ele também fundou uma farmácia de manipulação sediada no Bairro Prado, no Oeste da cidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade