Publicidade

Estado de Minas

BH já tem mais de 200 presos por embriaguez ao volante em 2018

Mistura de bebida e direção significou a detenção de 212 motoristas entre janeiro e março, contra 193 em igual período de 2017. Segundo Samu, condutor de carro que bateu na Raja Gabaglia apresentava sinais de ter bebido, mas, como foi encaminhado diretamente ao hospital, não passou por teste do bafômetro


postado em 13/06/2018 06:00 / atualizado em 13/06/2018 08:14

O veículo dirigido por J. C. B. S., de 25 anos, ficou destruído. Condutor foi levado ao Pronto-Socorro e não houve tempo de fazer o teste do bafômetro (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
O veículo dirigido por J. C. B. S., de 25 anos, ficou destruído. Condutor foi levado ao Pronto-Socorro e não houve tempo de fazer o teste do bafômetro (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)

“Nós que somos pais ficamos muito preocupados. Se vai sair para beber, não pode dirigir. Graças a Deus, quando atendi ao telefone não foi nada mais grave, meu filho está bem”, diz o pintor Genario Mendes, de 55 anos. A cobrança e o alívio nas palavras do pintor se referem ao grave acidente que por pouco não terminou em tragédia na madrugada de ontem na Avenida Raja Gabaglia, no Bairro Luxemburgo, Centro-Sul de Belo Horizonte. Um carro com cinco pessoas, entre elas o filho de Genario e uma  grávida, atingiu uma árvore no canteiro central da via. Várias peças do motor e da parte externa se soltaram do veículo, indo parar fora do ponto do acidente.


Três situações indicam a necessidade de averiguar a mistura de bebida alcoólica e direção nesse caso, embora a Polícia Militar não tenha feito o teste do bafômetro, uma vez que o motorista havia sido levado ao Pronto-Socorro quando os policiais chegaram ao local e teve que ser submetido  a cirurgia. Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), entretanto, o condutor apresentava sinais de ter bebido. E policiais que estiveram no local disseram que foram encontradas latas de cerveja no interior do veículo, o que foi negado mais tarde pela corporação. Já o pintor Genario Mendes relata que o filho, que estava no banco do passageiro do carro, bebia com amigos antes do acidente.


Enquanto há suspeita de embriaguez do condutor J. C. B. S., de 25 anos, o Departamento Estadual de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG) registra ligeiro aumento das prisões em flagrante de motoristas alcoolizados em BH. Nos três primeiros meses do ano foram 212 ocorrências de mistura de álcool e direção ratificadas pelo delegado de plantão em que os motoristas acabaram presos. O número é 9,84% maior do que o mesmo período de 2017, quando foram 193 casos (veja quadro). Ainda nos três primeiros meses de 2018 foram 121 acidentes em BH, cuja causa presumida é a mistura de álcool e direção, o que dá média de 1,3 batida por dia na capital mineira. Nesse caso, o número é 10,87% menor do que os 138 acidentes pela mesma causa presumida de janeiro a março de 2017. Os dados de acidentes foram fornecidos pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).


Genario Mendes conta que acordou assustado na madrugada de ontem quando recebeu a ligação em que ficou sabendo sobre o acidente na Raja Gabaglia. A batida ocorreu por volta das 4h. O filho dele, de 22 anos, foi socorrido pelo Samu à Unidade de Pronto-Atendimeno (UPA) Oeste consciente e com queixa de dor no ombro direito. “Ele estava bebendo com amigos, mas eu não conheço as pessoas que estavam com ele, até porque ele não me falou com quem estava nem para onde ia sair. Fiquei muito preocupado, qual pai não ficaria?”, questiona ele, dizendo que o filho é morador do Conjunto Santa Maria, área bem próxima do acidente, na Região Centro-Sul de BH.

SOCORRO Além do filho de Genario, o Samu informou que também socorreu o condutor do carro, que apresentava sinais de ter bebido, e foi encaminhado ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII após vários episódios de vômitos e com um corte no rosto. Segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação também participou do socorro, encaminhando para o João XXIII um homem com fortes dores no tórax e escoriações, e uma mulher na mesma situação.


O carro precisou ser removido do canteiro central, pois bloqueou parte do trânsito na Raja Gagablia. Segundo a PM, uma marca de frenagem no local indica que o veículo seguia em alta velocidade. Além disso, um policial informou que latas de cerveja foram encontradas no interior do Fiat Palio, informação mais tarde negada pela corporação. Policiais que estiveram no local por volta das 8h disseram que seguiriam dali para o hospital, com o objetivo de colher a versão do condutor.


No boletim de ocorrência consta a informação de que J. C. B. S. disse que estava descendo a Raja, no sentido Centro, foi fechado por outro veículo, jogou a direção para o canteiro central e bateu em uma árvore. Em nota, o Detran/MG informou que não consta no boletim de ocorrência nenhuma indicação de embriaguez. O condutor é devidamente habilitado, o documento está regular e o carro foi encaminhado ao pátio por falta de custodiante. O caso foi encaminhado à Delegacia Especializada em Acidentes de Veículos.

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)

Atropelamento e agressão


Um motorista atropelou cinco pessoas, agrediu uma delas e fugiu a pé em Pouso Alegre. Vários vídeos mostram quando ele arrancou o carro na Avenida Vereador Antônio da Costa depois de um ciclista passar no mesmo sentido da via. Segundo testemunhas, ele invadiu a contramão e atingiu quatro pessoas na calçada, antes de sair do carro, bater no ciclista e fugir sem prestar socorro a ninguém. O ciclista seria namorado de sua ex-mulher. O agressor, que deixou documentos no carro, foi identificado pelos militares como Tiago da Silva Ferreira, de 33 anos, e preso no início da noite de ontem.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade