Publicidade

Estado de Minas

Quadrilha comandada de dentro de cadeia é presa em Governador Valadares

Os criminosos foram encontrados em operação conjunta do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Polícia Militar (PM)


postado em 07/06/2018 14:20 / atualizado em 07/06/2018 14:27

Material encontrado com a quadrilha(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Material encontrado com a quadrilha (foto: Polícia Militar/Divulgação)

Uma operação conjunta entre a Polícia Militar (PM) e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para combater o tráfico de drogas foi deflagrada nesta quinta-feira em Governador Valadares, na Região do Rio Doce. A ação teve como alvo uma organização criminosa que atua há, ao menos, 15 anos. O grupo é acusado, além da venda de entorpecentes, por homicídios e porte de arma de fogo. Na ação, nove pessoas foram presas e quatro mandados foram cumpridos dentro de penitenciárias.

As investigações tiveram início em 2017 depois de levantamentos feitos pela PM que identificaram diferentes criminosos envolvidos com o tráfico de drogas. As informações foram repassadas ao MPMG que instaurou um inquérito para apurar o caso. No curso das apurações, foram apreendidos 200 quilos de drogas, entre maconha, crack e cocaína. Cinco pessoas acabaram presos em flagrante. De acordo com o MPMG, alguns crimes da quadrilha eram coordenados e cometidos pelos criminosos de dentro de unidades do sistema prisional por meio de celulares.

Nesta quinta-feira, foram cumpridos 13 mandados de prisão. Destes, nove eram contra pessoas que estavam soltas e quatro de criminosos que já estão dentro de prisões. As investigações apontam que eles controlavam o tráfico de drogas na região.

Foi apreendida uma pistola calibre .380 com dois carregadores municiados com 23 cartuchos, um rádio comunicador que operava a frequência da PM, três porões de maconha, quatro pedras de crack, R$ 675, e 10 dólares neozelandeses.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade