Publicidade

Estado de Minas

Agentes impedem nova tentativa de fuga e descobrem túnel na Nelson Hungria

Fotos e vídeos da situação no local circulam pela internet. Esta seria a sétima tentativa de fuga desde o início do ano na unidade


postado em 24/05/2018 10:58 / atualizado em 24/05/2018 13:10


O Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, registrou mais uma tentativa de fuga. Desta vez, além de grades serradas, agentes penitenciários descobriram um longo túnel em um dos pavilhões. Esta seria a sétima tentativa de fuga desde o início do ano na unidade. 

Fotos e vídeos feitos no local, que seria o pavião 5 da unidade, já circulam pela internet. Em um vídeo, um dos presos percorre todo o túnel e fala a um interlocutor não identificado sobre o avanço da escavação. Ele comenta que teriam avançado muito mais se tivessem outras pessoas ajudando e que a escavação já havia chegado a um ponto perto das telas de proteção. 

Segundo as informações divulgadas, os agentes descobriram a tentativa de fuga após desconfiarem da movimentação dos detentos e resolveram verificar na noite de quarta-feira. A terra do túnel estava escondida em sacos improvisados com cobertores. 

O presidente da Comissão de Assuntos Carcerários da Ordem de Advogados do Brasil (OAB/MG), Fábio Piló, vem denunciando a situação da carceragem de outras unidades do estado e diz que a situação pode piorar. “Estão retirando os presos do trabalho. Não tem agentes para levá-los ao trabalho”, diz o advogado. Segundo ele, isso pode aumentar o número de detentos na unidade. Piló explica que desde o ano passado parcerias com empresas e setores públicos que empregam detentos vem sendo encerrada e que ontem houve uma reunião para tentar conter o problema. “É uma realidade que denunciamos desde a metade do ano passado e nada é feito”, diz. Questionada sobre a situação, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) disse que as denúncias "são improcedentes". 

Fotos mostram sacos improvisados para esconder terra. À direita, portão com grades serradas(foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
Fotos mostram sacos improvisados para esconder terra. À direita, portão com grades serradas (foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
O presidente da Comissão também voltou a falar da falta de agentes penitenciários. Ele diz que até o fim do ano, 1,5 mil profissionais devem deixar os postos de trabalho. “Eles são contratados, é um contrato precário. Ano passado, o Tribunal de Justiça declarou ilegalidade da lei que legitimou a contratação. Para não colocar todos na rua imediatamente, mandou que eles cumprissem os contratos até o final, tem contratos  encerrando até 2020”, disse. 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Administração prisional confirmou a tentativa de fuga e também falou sobre o túnel. O caso está sendo investigado. Leia na íntegra: 

"A Secretaria de Estado de Administração Prisional informa que o trabalho de inteligência e de monitoramento do Complexo Penitenciário Nelson Hungria (CPNH) impediu a fuga detentos da unidade prisional na noite de quarta-feira, 23.05. Por volta das 22h, durante a ronda rotineira, agentes penitenciários descobriram uma cela com grades serradas. A partir de então, intensificaram as revistas e constataram um total de oito celas do pavilhão 5 com grades danificadas. Em uma das celas havia um buraco que daria acesso à muralha do complexo.

O trabalho de contenção na área foi realizado com apoio do Comando de Operações Especiais do Sistema Prisional (Cope) que estava na unidade realizando uma ronda programada. Os 15 detentos que ocupavam as celas danificadas passarão pelo Conselho Disciplinar da unidade e sofrerão sanções administrativas. A situação está sendo investigada administrativamente pela direção geral da unidade."


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade