Publicidade

Estado de Minas

Agentes impedem nova tentativa de fuga na Penitenciária Nelson Hungria

Sete detentos foram flagrados no telhado da unidade de segurança máxima na noite de quarta-feira. Desde dezembro, foram registradas cinco fugas e quatro tentativas de detentos deixar a unidade


postado em 10/05/2018 14:22 / atualizado em 10/05/2018 15:48

Os presos foram detidos quando estavam no telhado da unidade(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press. )
Os presos foram detidos quando estavam no telhado da unidade (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press. )

Uma nova tentativa de fuga foi registrada no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Sete detentos tentaram escapar do presídio de segurança máxima, mas acabaram contidos por agentes penitenciários. Desde dezembro, cinco fugas foram registradas e quatro ações dos presos para tentar deixar a unidade foram frustradas. No final de abril deste ano, a Justiça interditou parcialmente o local, que está impedido de receber novos detentos até que a sua ocupação chegue a 2 mil.

A última tentativa de fuga aconteceu por volta das 22h dessa quarta-feira. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), os agentes que atuavam nas muralhas da unidade conseguiram interceptar sete detentos que estavam fora da área de carceragem. “Durante o banho de sol eles alcançaram o telhado e lá se esconderam até o período noturno, quando ocorreu a tentativa de fuga”, explicou a Seap.  Um procedimento interno foi aberto para apurar o caso.

As ocorrências na Nelson Hungria passaram a ser constantes desde dezembro. Ao todo,  31 presos conseguiram fugir. Destes, 12 presos recapturados. Até esta quinta-feira, foram registradas cinco fugas.  A primeira delas em 19 de dezembro, três detentos fugiram durante a madrugada. Os presos usaram lençóis para escapar do presídio. Agentes penitenciários faziam ronda na unidade e encontraram uma corda feita com lençóis, pendurada em um dos muros do presídio. Só então, as celas e os pavilhões foram vistoriados e foi notada a falta de três detentos.

Em 27 de janeiro, outros oito detentos conseguiram fugir da unidade. Não foi esclarecido como os presos saíram do local. Em 17 de março, 10 presos saíram da unidade. A fuga ocorreu por volta das 5h,  dois foragidos foram recapturados. Em 25 de abril, quatro presos conseguiram escapar. Durante o banho de sol, os detentos alcançaram o telhado de um dos pavilhões e, ao anoitecer, usaram uma tereza (corda improvisada) para ultrapassar a muralha. No dia seguinte, uma nova fuga foi registrada. Seis detentos escaparam e um foi recapturado.

Justiça


Devido a série de ocorrências, o  juiz Wagner Cavalieri decidiu interditar parcialmente o Complexo Penitenciário Nelson Hungria. O magistrado decidiu que não pode haver novos ingressos de detentos no complexo até que o número de presos esteja inferior a 2 mil.

Segundo a decisão, novas matrículas só poderão ser aceitas em caso eventual de permuta, se previamente autorizada pelo juízo da Vara de Execuções Criminais de Contagem. O juiz pontuou que “espera-se que não seja necessária a ocorrência de um banho de sangue ou de rebeliões para que algo de concreto seja feito pelo Poder Executivo, seja no sentido de abrir novas vagas no sistema prisional, seja no sentido de recuperar o número necessário de agentes de segurança.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade