Publicidade

Estado de Minas

Frio perde força, mas temperaturas vão continuar baixas em Minas

Semana começou com mínima de 1,6 grau negativo em Minas Gerais e recorde de frio em Belo Horizonte. Não há previsão de chuva


postado em 22/05/2018 06:00 / atualizado em 22/05/2018 08:29

Apesar do sol, temperatura ainda é baixa nesta manhã. Na foto, amanhecer no Bairro Ouro Preto(foto: Ramon Lisboa/EM/DA Press)
Apesar do sol, temperatura ainda é baixa nesta manhã. Na foto, amanhecer no Bairro Ouro Preto (foto: Ramon Lisboa/EM/DA Press)

Os mineiros podem se preparar para continuar encarando o frio nesta semana. Ontem, Belo Horizonte registrou a menor temperatura do ano. Os termômetros marcaram 8,7°C. No interior do estado houve até marcações abaixo de zero. Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam que a menor temperatura registrada foi em Monte Verde, no Sul de Minas, com -1,6°C. Em Maria da Fé, na mesma região, a temperatura foi de -0,1°C. No Sul de Minas, geou em alguns municípios. Nesta terça-feira, a temperatura mínima em Belo Horizonte foi de 10 graus, segundo o Inmet. A sensação térmica chegou a 3 graus nas proximidades das serras do Curral e Rola Moça. A situação deve continuar nos próximos dias, mas segundo meteorologistas não há previsão de chuva.

A queda nas temperaturas é atribuída a uma massa de ar frio de origem polar que chegou ao Brasil no fim de semana. Segundo o meteorologista Cléber Souza, do Inmet, Belo Horizonte foi a capital mais fria do Sudeste do país. Em São Paulo, a mínima foi de 9,5°C, no Rio de Janeiro, 13°, e em Vitória, no Espírito Santo, a menor temperatura foi 17,7°. O meteorologista acrescentou que não há previsão de um novo recorde de frio para esta semana. “A massa de ar polar veio continental, atingindo todo o Centro-Sul (do Brasil) e chegou nesta madrugada (de ontem) em BH. A tendência agora é ela ir perdendo força”, explicou. Ainda segundo Cléber Souza, o outono marca a chegada das massas de ar polar no país, que surgem pelo menos a cada 15 dias. No inverno, elas ficam mais intensas.

Mesmos acostumados com as baixas temperaturas, os moradores de cidades no Sul do estado ainda sofrem com as baixas temperaturas. “Está bastante frio. A gente tem que andar bem agasalhado”, contou o fotógrafo Ricardo Cozzo, morador de Monte Verde. “Moro na parte mais alta da cidade, foi complicado esta noite. Muito frio e, em alguns pontos, dizem que chegou a 2°C”, disse Ricardo. As árvores e campos do município de Maria da Fé, também no Sul de Minas, ficaram cobertos por gelo. “Ontem (domingo) também fez muito frio e ventou bastante. Hoje ventou menos, mas em compensação, o frio está mais intenso”, contou Mauro Moreira, de 31, recepcionista de um hotel do município. “Apesar do frio, é uma bela paisagem. Moro ao lado de um rio e quando saí para trabalhar estava tudo branco. A ponte e a grama estavam cobertas pelo gelo. É fantástico”, disse Mauro.

A neblina tomou conta de pontos diversos, como o Bairro Vianópolis, em Betim, no início da manhã. Tempo deve permanecer nublado hoje (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
A neblina tomou conta de pontos diversos, como o Bairro Vianópolis, em Betim, no início da manhã. Tempo deve permanecer nublado hoje (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)


De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a tendência para o decorrer da semana na região é de que a temperatura mínima fique em torno de 5°C. “O frio deve permanecer até quarta-feira, principalmente com noites frias. Há risco de geadas em pontos isolados, principalmente em Monte Verde e Maria da Fé”, disse o meteorologista Cléber Souza. No fim de semana, a passagem de uma frente fria, que antecipa a chegada da massa de ar polar, provocou chuva no sábado, mas segundo o meteorologista o fenômeno não deve se repetir nesta semana.

De acordo com o Inmet, apesar da baixa temperatura e do aumento de nebulosidade, não há previsão de chuva. Conforme a previsão, hoje o tempo deve ficar parcialmente nublado em todas as regiões do estado. Durante o dia, o sol predomina entre nuvens e as temperaturas estarão estáveis no estado, porém, fará bastante frio à noite. O inverno começa em 21 de junho e vai até 22 de setembro. Um boato que circula nas redes sociais alerta que esta será a estação com o frio mais rigoroso no Brasil dos últimos 100 anos. Entretanto, os meteorologistas afirmam que a informação não é verdadeira e as temperaturas devem ser mais baixas do que as registradas no ano passado.

Ver galeria . 10 Fotos Geada em Monte Verde, no Sul de Minas, onde temperatura chegou a 1,6 grau negativoRicardo Cozzo/Divulgação
Geada em Monte Verde, no Sul de Minas, onde temperatura chegou a 1,6 grau negativo (foto: Ricardo Cozzo/Divulgação )


TEMPO SECO A umidade relativa do ar também cai em algumas cidades mineiras, principalmente nas regiões Metropolitana, Central, Sul e Oeste, onde o índice fica entre 20% e 30%, o que é considerado estado de atenção e pode provocar danos à saúde. Ontem, a Defesa Civil de Belo Horizonte emitiu um alerta de tempo seco para a capital, que registrou umidade relativa do ar em 21%, na Regional Pampulha. Segundo o órgão, os índices devem permanecer baixos até, ao menos, amanhã. Hoje, a temperatura mínima em BH deve ficar em 8°C e a máxima 23°C. Com os ventos, a sensação térmica pode chegar a 10°C.

De acordo com o Inmet, a tendência é de que a capital fique com o tempo seco principalmente durante as tardes. Os índices devem se aproximar de 30%. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o índice entre 21% e 30% como estado de atenção; entre 12% e 20%, de alerta, e abaixo de 12%, estado de emergência. O índice considerado ideal é 60%. A situação deve melhorar durante a semana. “Vai aumentar gradualmente durante a semana. Devido ao enfraquecimento da massa polar, devemos ter mais umidade até quarta”, explicou o meteorologista Jorge Moreira, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).



Com o tempo seco, o período recomendado para a prática de atividades físicas é antes das 10h e após as 17h. Outras orientações são usar roupas leves, fazer refeições leves, incluindo frutas e verduras, além de usar sombrinha ou guarda-chuva para andar nas ruas no período mais quente. A hidratação deve ser reforçada para as crianças, com a ingestão de bastante líquido. Os idosos também exigem atenção, pois são suscetíveis a problemas respiratórios. Para reduzir as consequências do clima seco, a receita é investir na hidratação, consumindo muitos líquidos e lavando o nariz com soro fisiológico, além de hidratar a pele. *Estagiários sob supervisão do editor Roney Garcia

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade