Publicidade

Estado de Minas

Professor é preso por abusar de estudantes em Governador Valadares

O homem foi denunciado por um grupo de alunos que alegam terem sofridos abusos dentro da escola


postado em 10/05/2018 18:38 / atualizado em 10/05/2018 18:45

Professor trabalha há 27 anos em escolas de Governador Valadares(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Professor trabalha há 27 anos em escolas de Governador Valadares (foto: Polícia Civil/Divulgação)

Um professor foi preso nesta quinta-feira pela Polícia Civil suspeito de abusar sexualmente de estudantes em Governador Valadares, na Região do Rio Doce. Um grupo de alunos vítimas do homem, de 46 anos, procuraram a delegacia após serem orientadas por diretores da escola. Os crimes teriam acontecido no final do ano passado.

O caso começou a ser investigado em dezembro, quando as vítimas procuraram a delegacia para denunciar o caso. “Os estudantes trouxeram ao conhecimento da polícia a ocorrência no final do ano passado de vários abusos sexuais por parte do professor. Começamos as diligências para reunir informações e ter elementos de prova de autoria dos crimes. Todas as vítimas foram ouvidas, assim como funcionários. Ele também foi interrogado”, explicou a delegada Liliam Fernandes de Cales.

O inquérito foi concluído e entregue ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que ofereceu a denúncia contra o professor e representou pela prisão preventiva do homem. As vítimas tinham aproximadamente 14 anos. A Justiça recebeu a denúncia e expediu o mandado, que foi cumprido no fim da manhã desta quinta-feira. Segundo a delegada, o professor negou os crimes.

De acordo com Liliam Cales, há provas que os crimes aconteceram. “A grande questão é que ele se utilizava da posição de professor, em relação aos estudantes, e havia atos libidinosos, como passar a mão nas partes íntimas, de forma discreta. Chegou um ponto que uma vítima até sabia da outra. Alunos que sabiam que colegas já passavam pela mesma coisa”, disse.

A polícia acredita que mais estudantes possam ter sido vítimas do professor, que trabalha há 27 anos na cidade. Por isso, fez um alerta para que eles procurem a delegacia. “Quem não ficar a vontade para vir à delegacia, nós temos o canal 181, que é o disque denúncia, que assegura o anonimato”, completou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade