Publicidade

Estado de Minas

Irmã do traficante Roni Peixoto é presa em Belo Horizonte

Ela era monitorada por meio de uma tornozeleira eletrônica desde o ano passado. A prisão foi por suspeita em envolvimento com tráfico de drogas no Bairro Jardim Guanabara, na Região Norte da capital mineira


postado em 07/05/2018 14:04 / atualizado em 07/05/2018 14:11

Uma mulher de 44 anos foi presa na noite de domingo suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas no Bairro Jardim Guanabara, Região Norte de Belo Horizonte. Ela era monitorada por meio de uma tornozeleira eletrônica desde o ano passado. A Polícia Militar confirmou que ela é irmã de Roni Peixoto de Souza, de 47, considerado um dos maiores traficantes de Minas Gerais. Investigações policiais apontam que ele é braço-direito de Fernandinho Beira-Mar.

De acordo com a PM, houve a denúncia de que um grupo traficava drogas na Rua Roberto Carlos Almeida Cunha e que os envolvidos eram de alta periculosidade e violentos. Os policiais seguiram para o local e viram a mulher entregar algo para um homem. Ao perceber a presença dos militares, ela trancou o portão. Os policiais conseguiram abordar o homem, que tem 44 anos e estava com três pedras de crack. Ele disse que foi até o local comprar as drogas a pedido de um amigo e que pagou R$ 15 pelas porções.

Um jovem permitiu a entrada dos policiais militares na casa, onde estavam outras pessoas. A suspeita se trancou no banheiro e disse que estava tomando banho, mas os policiais ouviram ela acionar a descarga várias vezes e suspeitam que ela tenha jogado as drogas no vaso sanitário.

Todas as pessoas que estavam no imóvel foram levada para fora e o primeiro homem detido pelos policiais apontou a mulher como responsável pela venda. Foram apreendidos R$ 109. Cães farejadores da PM foram levados para o local, mas não acharam mais drogas. Foi dada voz de prisão em flagrante à suspeita, que foi levada à Central de Flagrantes da Polícia Civil (Ceflan 1).

De acordo com a Polícia Civil, a mulher foi presa em flagrante por tráfico de drogas. A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) confirmou que ela cumpria medida cautelar com monitoração eletrônica desde novembro do ano passado e que até o início da tarde não havia sido admitida em alguma unidade prisional administrada pela Seap.

Família de Roni Peixoto


A PM confirmou que a mulher é irmã do traficante Roni Peixoto. O traficante, que já figurou na lista dos mais procurados de Minas Gerais, ganhou o benefício do regime semiaberto em março deste ano. Segundo a Secretaria de Estado de Administração Prisional de Minas Gerais (Seap-MG), ele deixou a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, e foi transferido para o Complexo Público Privado III, em Ribeirão das Neves.

Outros familiares de Roni também já foram presos. Em julho de 2011, dois primos foram levados para a delegacia durante uma operação do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) no Bairro Jardim dos Comerciários. No local, foi apreendido um quilo de crack, meio quilo de cocaína, uma balança de precisão, 17 celulares e R$ 1,5 mil em dinheiro.

Já em agosto de 2012, a filha dele foi presa durante uma megaoperação da Polícia Civil desencadeada em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para combater o tráfico de drogas. Na ação, outras 18 pessoas foram detidas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade