Publicidade

Estado de Minas

Kalil promete ações em ocupações da Região Norte de Belo Horizonte

Prefeito se reuniu com representantes das ocupações da Izidora e disse que limpeza urbana e material escolar para crianças estão entre os serviços que serão fornecidos à população local


postado em 28/03/2018 17:45 / atualizado em 28/03/2018 18:30

Prefeito Alexandre Kalil e primeira dama Ana Laender (centro) acompanharam pintura de painéis que vão fazer parte do cenário do Lar dos Idosos São José, no Bairro Olhos D'água, por meio de projeto voluntário comandado pela esposa. Ao conversar com a imprensa, o prefeito anunciou ações nas ocupações da Izidora, que ficam na Região Norte de BH(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A PRESS)
Prefeito Alexandre Kalil e primeira dama Ana Laender (centro) acompanharam pintura de painéis que vão fazer parte do cenário do Lar dos Idosos São José, no Bairro Olhos D'água, por meio de projeto voluntário comandado pela esposa. Ao conversar com a imprensa, o prefeito anunciou ações nas ocupações da Izidora, que ficam na Região Norte de BH (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A PRESS)
Depois de manifestação de moradores das três ocupações da região da Izidora, Norte de Belo Horizonte, que interrompeu parcialmente o trânsito na Avenida Afonso Pena, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) disse, na tarde desta quarta-feira, que foi marcada uma reunião interna na prefeitura para definir sobre ações imediatas a serem implantadas na área das ocupações Rosa Leão, Vitória e Esperança. De acordo com o prefeito, questões como limpeza urbana, cadastro de moradores para atendimento em postos de saúde e distribuição de material escolar para as crianças serão feitas de forma imediata.

Kalil se reuniu na parte da manhã com representantes das três ocupações, que batizaram de Izidora a área ocupada de influência do Ribeirão Isidoro, nos limites com Santa Luzia. No momento em que o prefeito e os representantes da população se reuniam, manifestantes fecharam uma das faixas da Afonso Pena em frente à sede da PBH, impactando o trânsito em direção ao Bairro Mangabeiras.

"A intervenção principal nós já começamos pela ocupação Esperança. Nós demos o material escolar, apesar das crianças estudarem em Santa Luzia. Nós vamos agora entrar com material escolar no Rosa Leão e no Vitória também e vamos entrar com a estrutura de melhoria e de limpeza urbana e de centros provisórios de saúde. Agora, não podemos fazer de hoje para amanhã. Mas se a gente começar a fazer com intensidade, dentro de muito pouco tempo, como fizemos no Dandara, nós vamos resolvendo devagarzinho", afirma o prefeito.

O prefeito disse que não é possível que a prefeitura faça uma urbanização completa sem desrespeitar a lei. Por isso, ele destacou que aos poucos pretende implementar ações para levar o poder público aos poucos para dentro das comunidades. Segundo Kalil, a região já está consolidada e virou um bairro.

TRABALHO SOCIAL A declaração sobre as próximas ações na Izidora foi dada durante visita ao Lar dos Idosos São José, do Bairro Olhos D'água, na Região do Barreiro, na tarde de hoje. O prefeito acompanhou parte das ações gerenciadas pela primeira dama de Belo Horizonte, Ana Laender, em caráter voluntário, de revitalização de 28 Instituições de Longa Permanência Para Idosos (ILPIs) que a prefeitura possui convênio. Kalil viu de perto a preparação para o novo visual do asilo, que começa a receber painéis coloridos pintados por cinco artistas convidados por meio do grafite.

Ana Laender disse que o Lar São José foi escolhido para receber os painéis porque a estrutura do local conta com cores mais frias e tem características de um ambiente hospitalar, principalmente por ser uma instituição mais antiga. "É uma forma de trazer calor para as pessoas que vivem aqui", diz a primeira dama.

O prefeito elogiou o projeto voluntário comandado pela esposa e disse que também há ações por parte da prefeitura, previstas no orçamento público, como a reforma estrutural das 28 unidades. "É claro que dentro de um projeto de reforma de 240 creches, 150 centros de saúde e 28 ILPIs que estavam muitas no mais completo abandono é um trabalho a longo prazo. Mas, em compensação, é ininterrupto, não vai parar", completa.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade