Publicidade

Estado de Minas

Oficiais de Justiça notificam famílias que ainda não deixaram casas na BR-356

Imóveis na Vila São Bento, às margens da rodovia, correm risco por um abatimento no asfalto da BR. O problema causou movimentações em paredão que separa a rodovia das casas


postado em 20/03/2018 11:03 / atualizado em 20/03/2018 13:22

Famílias começaram a deixar as áreas de risco nesta segunda-feira. Moradores notificados nesta terça-feira têm 48h para deixar as casas(foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press)
Famílias começaram a deixar as áreas de risco nesta segunda-feira. Moradores notificados nesta terça-feira têm 48h para deixar as casas (foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press)
Oficiais de Justiça notificam, nesta terça-feira, as famílias que ainda não deixaram as casas que estão em área de risco na Vila São Bento, às margens da BR-356, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. 

A necessidade de saída dos imóveis se deve ao abatimento de um trecho do asfalto na rodovia, entre os bairros Belvedere e Santa Lúcia, no sentido Rio de Janeiro, entre o trevo do Belvedere e a Rua Medusa, onde ficam um supermercado, uma concessionária de veículos e um posto de gasolina. 

O abatimento coloca em risco a cortina atirantada - paredão de concreto que sustenta encostas e está acima das casas. Na semana passada, a Defesa Civil constatou que devido ao abatimento a estrutura estava se movimentando.

De acordo com a Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte (Urbel), moradores de 34 casas que estão em situação de risco foram notificadas por funcionários da pasta e técnicos da Defesa Civil. Contudo, apenas três famílias deixaram os imóveis e levaram todos os pertences. Moradores de outras duas casas saíram dos imóveis, mas deixaram objetos pessoais nas casas. 
Abatimento no asfalto interditou duas faixas de trânsito no sentido Rio de Janeiro da rodovia para obras (foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press)
Abatimento no asfalto interditou duas faixas de trânsito no sentido Rio de Janeiro da rodovia para obras (foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press)
 

Com a notificação judicial, as famílias têm 48 horas para deixar os imóveis. A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) está oferecendo seis meses de bolsa moradia, um caminhão de mudanças e um local para que elas possam guardar os pertences no período de intervenções. 

O Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG) informou que começou os trabalhos emergenciais e monitora a situação.  “O DEER/MG vem notificando a Defesa Civil que a ação efetiva de recuperação passa, obrigatoriamente, pela retirada imediata dos moradores que residem na base da cortina atirantada, o que permitirá a necessária movimentação de equipamentos e trabalhadores e, consequentemente, a execução dos serviços de estabilização da estrutura, buscando evitar o colapso da mesma”, afirmou. 

Duas das quatro faixas da via, no sentido RJ, permanecem fechadas por segurança. 
Paredão que sustenta uma encosta acima das casas, ás margens da BR-356, registrou movimentações, segundo a Defesa Civil (foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press)
Paredão que sustenta uma encosta acima das casas, ás margens da BR-356, registrou movimentações, segundo a Defesa Civil (foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press)
 

* Sob supervisão da subeditora Jociane Morais

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade