Publicidade

Estado de Minas

Servidores do Ipsemg negociam e voltam às atividades após greve de dois dias

Nesta quarta-feira, representantes do sindicato que representa os trabalhadores, do instituto e do governo de Minas Gerais se reuniram na Cidade Administrativa


postado em 28/02/2018 19:53 / atualizado em 28/02/2018 20:02

(foto: Sisipsemg/Divulgação)
(foto: Sisipsemg/Divulgação)
Depois de cruzar os braços desde segunda-feira, servidores do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) negociaram com o governo de Minas Gerais e decidiram voltar às atividades. A reunião com o representante do Executivo estadual aconteceu nesta quarta-feira, junto com o Sindicato dos Servidores do Ipsemg (Sispsemg) na Cidade Administrativa. A compensação dos dias parados será negociada com a direção do instituto.

Durante o encontro, de acordo com o Sispsemg, o governo propôs a ajuda de custo no valor de R$ 53 por dia trabalhado para todos os servidores diaristas e plantonistas do instituto que cumprem jornada de seis horas. O governo informou que a medida é a "única alternativa existente para atender os trabalhadores do Ipsemg sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)".

As reivindicações que culmiranam na paralisação eram melhorias nas condições de trabalho, aumento salarial, fim dos atrasos e escalonamentos dos vencimentos, contratação de mais servidores por meio de concurso público para diminuir a sobrecarga e a conclusão de obras que impedem o funcionamento de todos os andares do Hospital Governador Israel Pinheiro (HGIP), na Alameda Ezequiel Dias, Centro-Sul de BH.

CONSENSO Os acordos feitos entre servidores, Ipsemg e governo de Minas Gerais, foram aprovados pela categoria. Quanto aos valores, serão adotados os seguintes complementos: jornada diária de 6 horas a 8 horas = R$ 53,00; plantão de 12 horas = R$ 116,00; plantão de 24 horas = R$ 232,00, sendo que os valores mensais dos plantonistas terão o teto máximo de R$ 1.160,00. Os funcionários do setor de raio-X também receberão ajuda de custo.

A Portaria 20, de 13 de junho de 2014, que instituiu o cumprimento da jornada de trabalho dos plantonistas do instituto, também está sendo revista e deverá ser discutida em reunião com o sindicato. No encontro, a redução da carga horária dos servidores do Ipsemg deverá ser apresentada após conclusão de estudos feitos pelo instituto. O andamento da negociação está em 80%, de acordo com o sindicato. Já o plano de carreira deverá ser concluído até o dia 30 de março.

As nomeações de servidores suspensas pela Câmara de Orçamento e Finanças (COF) serão apresentadas assim que o Estado sair da Lei de Responsabilidade Fiscal, e o Ipsemg se reunirá com a Secretaria de Planejamento e Gestão em nove de março para discutir novos concursos. Quanto às verbas retidas, o instituto irá comunicar o sindicato sobre promoção, progressão, férias prêmio e quinquênio. Os direitos atrasados deverão ser quitados com os servidores em junho. Os servidores não terão prejuízo financeiro com os dias parados.

*Sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade