Publicidade

Estado de Minas

Adolescente de 16 anos mata colega de escola após desentendimentos

Segundo a PM, a irmã do adolescente contou que a família chegou a transferir o adolescente de escola, devido as constantes ameaças do colega


postado em 27/02/2018 16:00 / atualizado em 27/02/2018 16:48

Um adolescente de 16 anos foi morto, nesta terça-feira, em Governador Valadares, no Rio Doce. De acordo com a Polícia Militar (PM), Gabriel Victor Vieira da Silva, levou dois tiros e morreu a caminho do hospital. O suspeito do crime é um adolescente, também de 16 anos, com quem a vítima teve um desentendimento em sua escola. Ele ainda não foi apreendido.

O crime aconteceu no Bairro Turmalina. Uma testemunha socorreu a vítima e acionou a polícia. Aos militares, a testemunha relatou que chegou a perguntar quem seria o autor do crime e ele apontou o colega de escola como responsável. Gabriel foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas morreu antes de chegar ao hospital. Ele foi atingido por dois tiros – um na coluna e outro no tórax.

Ainda de acordo com a PM, a irmã da vítima contou que o adolescente vinha sofrendo ameaças do suspeito há cerca de dois anos. Segundo ela, os dois brigaram na escola e o suspeito chegou a atirar pedras em Gabriel. Após o desentendimento, a família transferiu o adolescente de escola, mas segundo sua irmã, ele continuou sendo perseguido e ameaçado pelo colega.

A Polícia Militar foi até a casa do adolescente suspeito, mas ele não foi localizado. A mãe contou que, após a briga que os estudantes tiveram na escola, seu filho prometia se vingar de Gabriel. Ele dizia ter sido agredido pela vítima com socos e chutes. Em seu depoimento, as famílias disseram não saber o motivo da briga entre eles.

Segundo a PM, a vítima não tem passagem pela polícia, mas o suspeito foi apreendido por tráfico de drogas em janeiro. Procurada pela reportagem do em.com.br, a Polícia Civil informou que ainda não há informações sobre o motivo da desavença e será realizado rastreamento para localizar o suspeito.

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade