Publicidade

Estado de Minas

Falso dentista é preso em flagrante usando registro do pai falecido

De acordo com o CRO, ele usava o número de registro do pai, falecido há 5 anos.


postado em 19/02/2018 18:20 / atualizado em 19/02/2018 19:50

(foto: Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais/Divulgação)
(foto: Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais/Divulgação)

Um falso dentista foi flagrado exercendo ilegalmente a profissão na tarde desta segunda-feira, no Bairro Nova Floresta, Região Nordeste de Belo Horizonte. A ação foi coordenada por fiscais do Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais (CRO/MG) em parceria com a Polícia Militar (PM). De acordo com os fiscais, o homem usava o número de registro do pai, falecido há 5 anos.

A investigação foi comandada pelo setor de fiscalização do CRO por cerca de um mês e revelou que Antônio Henrique de Almeida Cançado, de 50 anos, atendia com o registro de seu pai, o Dr. Geraldo Majela Cançado, falecido em 2013. De acordo com Alisson Pires, um dos responsáveis pela fiscalização, a abordagem foi feita no momento em que Antônio atendia uma paciente. "Não sabemos há quanto tempo ele atendia ilegalmente. O pai faleceu há cinco anos, mas é possível que ele já realizasse consultas há mais tempo", comenta Alisson.

Antônio, que segundo o CRO não tem formação de dentista, passou a ser alvo de investigações após denúncias anônimas feitas ao conselho. "Nós confirmamos a denúncia e o flagramos no momento em que ele atendia uma paciente", disse Alisson. No consultório, localizado na Rua  Rua Horta Barbosa, foram encontrados também diversos instrumentos não esterilizados e armazenados de forma incorreta, expostos à contaminação.

A PM foi acionada e o falso dentista foi preso em flagrante. Em seguida, ele foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil, que irá concluir as investigações. Segundo a polícia, Antônio pode ser enquadrado por falsidade ideológica e exercício ilegal da profissão.

Dicas de segurança para população

De acordo com o Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais, desde março do ano passado até este mês 12 pessoas foram flagrados exercendo ilegalmente a profissão. O caso mais recente aconteceu no mês passado quando uma técnica em saúde bucal foi pega se passando por cirurgiã-dentista e, também, realizando procedimentos ortodônticos.

O conselho orienta que ao procurar um dentista novo o paciente busque seu número de inscrição para checar a legalidade junto ao CRO/MG. A consulta pode ser realizada pelo telefone (31) 2104 3000. Caso desconfie de alguma irregularidade, as denúncias podem ser feitas pelo mesmo número ou direto no site.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade