Publicidade

Estado de Minas

Pimentel promete ir a Brasília com Kalil para evitar parada do metrô de BH

Governador criticou o governo federal e disse que é "impraticável esse tipo de atitude com Minas Gerais"


postado em 05/02/2018 11:18 / atualizado em 05/02/2018 11:53

Fernando Pimentel diz que Minas Gerais é alvo de descaso do governo federal(foto: Reprodução da internet/Facebook)
Fernando Pimentel diz que Minas Gerais é alvo de descaso do governo federal (foto: Reprodução da internet/Facebook)
O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), se pronunciou nesta segunda-feira sobre o corte de verbas de funcionamento do metrô de Belo Horizonte que ameaça parar o funcionamento do sistema de transporte a partir de junho. Ele promete ir a Brasília, com o prefeito Alexandre Kalil (PHS) para discutir o assunto com o presidente Michel Temer (MDB). 


“Se não bastasse a inexistência de ministros mineiros no governo do presidente Temer, se não bastasse o descaso com que eles tratam Minas Gerais, as declarações infelizes que o ministro da Saúde há pouco tempo falou atribuindo a culpa da febre amarela ao estado de Minas Gerais quando na verdade a União é que é responsável, passa dinheiro direto para os municípios e não passou. É por isso que estamos com essa tragédia aí da febre amarela”, diz o governador. 

“Se não bastasse tudo isso agora querem parar o metrô de Belo Horizonte. É impossível. Minas vai reagir. Eu já pedi audiência ao presidente Temer, vou falar com o prefeito Kalil, nós vamos juntos lá. É impraticável esse tipo de atitude com Minas Gerais. Nós não vamos aceitar”, enfatizou Pimentel.

O deputado federal mineiro Fábio Ramalho (MDB), que é vice-presidente da Câmara dos Deputados e coordenador da bancada mineira na Câmara, disse que ainda não está por dentro do assunto, mas garantiu que não haverá corte de recursos para o metrô de BH. "O metrô não vai fechar de jeito nenhum. Se precisar eu vou a presidente, ao ministro dos Transportes, mas não tem chance de parar", afirma.
 
O em.com.br entrou em contato com a CBTU-BH e a prefeitura de Belo Horizonte sobre a questão e aguarda resposta.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade