Publicidade

Estado de Minas

Homem que ateou fogo na ex-namorada será indiciado por feminicídio

Crime ocorreu no domingo em Poço Fundo, no Sul de Minas Gerais. Vítima morreu na tarde dessa segunda-feira em hospital de Alfenas


postado em 16/01/2018 12:27 / atualizado em 16/01/2018 14:22

Casal ficou junto por cerca de um ano e Cristian não aceitou o término do namoro(foto: Reprodução/ Facebook )
Casal ficou junto por cerca de um ano e Cristian não aceitou o término do namoro (foto: Reprodução/ Facebook )
Cristian Sousa, de 34 anos, suspeito de ter ateado fogo na ex-namorada, Kevelyn Flora, de 25 anos,  dentro da casa em que a mulher morava no município de Poço Fundo, no Sul de Minas Gerais, Será indiciado por feminicídio. O crime aconteceu na noite do último domingo.

A vítima, segundo a Polícia Militar, morreu na tarde dessa segunda-feira em um hospital de Alfenas onde estava internada com mais de 50% do corpo queimado. Devido a gravidade das feridas, a mulher seria transferida para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII em Belo Horizonte no período da noite. 

Segundogo o delegado Éder Roberto Neves, que conduz o inquérito  sobre a morte de Kevelyn, ele já pediu à Justiça que decrete a prisão de Cristian. “Já foi possível concluir que se tratou de feminicídio. O rapaz era ex-companheiro da vítima e não aceitava o término do relacionamento. Solicitamos ao judiciário a decretação da prisão preventiva dele,” afirmou o policial que já investiga denúncias de violência doméstica envolvendo o casal desde meados de 2017. 

“Essa delegacia já havia instaurado inquérito sobre ela e o investigado por denúncias de agressões. Em declarações no final do ano passado, mais precisamente em outubro, ela negou medidas protetivas,” explicou Éder Neves.

Cristian Sousa é conhecido no mundo policial, segundo o delegado. “Se trata de pessoa de extrema periculosidade. Ele tem passagens por uma tentativa de homicídio em 2002, roubo, furto, tráfico de drogas, dentre outros crimes. Ele ficou preso por quase dez anos na Penitenciária de Três Corações desde 2007 até o final do ano de 2016, ocasião em que ganhou liberdade e começou a namorar com a vítima.” 

Kevelyn Flora tinha conhecimento do passado criminal do ex-companheiro. “Infelizmente ela foi por um caminho muito perigoso e aconteceu esse fatídico evento,” lamentou o delegado.

As investigações sobre o crime continuam e, segundo o delegado, o inquérito está próximo de ser finalizado. A mãe de Kevelyn ainda será ouvida pelos investigadores e a Polícia Civil faz rastreamentos para localizar e prender Cristian. 

O crime 


A Polícia Militar informou que Kevelyn Flora chegava em casa por volta de 21h30, quando foi surpreendida por Cristian de Sousa que a aguardava dentro da casa. O agressor agarrou a ex-companheira, jogou gasolina no corpo dela ateando fogo e, em seguida, fugiu da casa.

A mãe da vítima contou aos policiais que móveis e um quarto da casa foram atingidos pelo fogo, mas que ela não sofreu ferimentos. Vizinhos ajudaram a socorrer a vítima para o hospital de Poço Fundo, mas ela foi transferida para um hospital em Alfenas, de onde seria encaminhada ao João XXIII. 

Conforme conversa da mãe de Kevelyn com os militares, a filha era perseguida por Cristian que não aceitava o fim de relacionamento. A mulher deixou duas filhas, de 7 e 4 anos, que não estavam em casa no momento do crime. 

* Sob supervisão da subeditora Jociane Morais

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade