Publicidade

Estado de Minas

Macaco é encontrado morto na divisa dos bairros Estoril e Buritis

O animal foi recolhido pela Regional Oeste e encaminhado para análise em laboratório. Uma das suspeitas investigadas é a febre amarela


postado em 15/01/2018 14:13 / atualizado em 15/01/2018 16:30

Primata estava na Rua Paulo Piedade Campos e foi recolhido(foto: Meu Bairro Buritis/Reprodução)
Primata estava na Rua Paulo Piedade Campos e foi recolhido (foto: Meu Bairro Buritis/Reprodução)

Moradores encontraram um macaco morto na manhã desta segunda-feira na Rua Paulo Piedade Campos, na divisa dos bairros Estoril e Buritis, na Região Oeste de Belo Horizonte. O animal foi recolhido por uma equipe de zoonoses da Prefeitura de Belo Horizonte e encaminhado para análise. Os exames vão apontar se o primata morreu em decorrência da febre amarela.

De acordo com a Regional Oeste, somente os exames poderão apontar as causas da morte. “O primata, que ainda não teve as causas da morte esclarecidas, foi levado para o laboratório do Centro de Zoonoses e passará por exames que possam apontar os motivos do óbito”, esclareceu.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) serão intensificadas as ações de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti em um raio de 200 metros do local onde o primata foi encontrado morto. “Também será verificada a situação vacinal da população da região, para que aqueles que ainda não se vacinaram sejam orientados a procurar o Centro de Saúde para receber a dose da vacina contra a doença”, completou a pasta por meio de nota.

Vale lembrar que os primatas não transmitem a doença. Eles servem como sentinela da circulação do vírus da febre amarela, pois são contagiados antes do que os humanos. Dados da SMSA indicam que até dezembro, 70 macacos foram encontrados mortos e recolhidos para exames em laboratório. Em sete deles, a febre amarela foi confirmada como a causa da morte. Eles estavam na Venda Nova, Centro-Sul, Oeste e Norte.

Belo Horizonte ainda não confirmou nenhum caso de febre amarela com transmissão ocorrida no município. Para se prevenir da doença, a forma mais eficaz é com a vacinação. A cobertura vacinal na capital mineira está em 83%. Mesmo assim, no próximo sábado, os Centros de Saúde vão ficar abertos para a aplicação de doses contra a doença.

Balanço

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) indicam que desde julho do ano passado, 11 casos de febre amarela foram registrados em Minas Gerais. Destes, nove mortes já foram confirmadas pela pasta. Foram confirmadas mortes pela doença em Nova Lima (3), e Brumadinho, na Grande BH, Mariana (2), na Região Central, Carmo da Mata, na Região Centro-Oeste de Minas, Barra Longa, e Mar de Espanha, na Zona da Mata.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade