Publicidade

Estado de Minas

Mais um macaco é encontrado morto em Juiz de Fora

Apesar da UFJF ter garantido que animal foi atropelado no campus da Universidade, corpo do primata será enviado a Belo Horizonte para análise do material


postado em 10/01/2018 15:45 / atualizado em 10/01/2018 17:58

Por precaução, Parque do Museu Mariano Procópio foi fechado na semana passada(foto: Leonardo Costa/Tribuna de Minas)
Por precaução, Parque do Museu Mariano Procópio foi fechado na semana passada (foto: Leonardo Costa/Tribuna de Minas)

Aumenta o número de macacos encontrados mortos em Juiz de Fora, na Zona da Mata. Na manhã desta quarta-feira, mais um animal foi encontrado morto, dessa vez dentro do campus da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), contabilizando agora seis macacos mortos na cidade. Segundo a universidade, o animal foi atropelado por um veículo.

O macaco foi encontrado por pessoas que faziam caminhada e o avistaram morto na pista de carros, próximo à Faculdade de Educação Física (Faefid). A Diretoria de Imagem Institucional da UFJF informou que as câmeras do campus registraram o momento em que o primata foi atropelado por um carro, por volta de 10h desta quarta-feira.

Uma equipe de vigilância da universidade isolou o local e acionou o Departamento de Zoonoses para recolher o animal. A Diretoria de Imagem Institucional da universidade destacou que o registro do atropelamento está à disposição da Vigilância Epidemológica da Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora para ajudar a determinar a causa da morte.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, mesmo com as evidências do atropelamento, o corpo do animal será enviado a Belo Horizonte para análise. "O procedimento determina que o animal recolhido seja entregue à Gerência Regional de Saúde (GRS) para diagnósticar a causa", informou em nota. A Secretaria informou ainda que as medidas adotadas nos demais pontos onde apareceram animais mortos também serão realizados na UFJF.

Outros casos

A Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora explicou que, dos cinco macacos encontrados mortos anteriormente, somente dois estavam em condições de serem encaminhados para análise. Os outros foram descartados por estarem em decomposição, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Na semana passada, um dos principais pontos turísticos de Juiz de Fora, na Zona da Mata, foi fechado devido ao risco de contaminação da febre amarela. Um macaco foi encontrado morto no Parque Museu Mariano Procópio na quarta-feira. Por precaução, o local foi interditado até o resultado dos exames sobre a causa.

Segundo a prefeitura, quase 90% da população já foi vacinada (453.685 doses entre 2007 e 2017) e a imunização continua disponível nas unidades básicas de saúde (UBSs), no Posto de Atendimento Médico (PAM) Marechal ou nos departamentos de Saúde do Idoso e o da Criança e do Adolescente, além de de existir um posto volante funcionando das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. (Com informações de João Henrique do Vale)

* Estagiária sob supervisão da subeditora Jociane Morais

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade