Publicidade

Estado de Minas

'Morreu praticando o esporte que amava', diz colega em velório de ciclista morto na Grande BH

Velório de Hugo dos Reis Cavanelas, de 38 anos, acontece nesta terça-feira na Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte, no Bairro Palmares, na Região Nordeste


postado em 09/01/2018 10:18 / atualizado em 09/01/2018 16:36

Ver galeria . 13 Fotos Serginho Cezario/Estrada Pedal
(foto: Serginho Cezario/Estrada Pedal )
Familiares e amigos lotam a Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte, no Bairro Palmares, na Região Nordeste, para prestar as últimas homenagens ao ciclista Hugo dos Reis Cavanelas, de 38 anos, que morreu depois de ser atropelado durante um treino na zona rural de Sabará, na Grande BH. Desde 3 de janeiro ele estava internado no Hospital João XXIII, mas não resistiu aos ferimentos e morreu nessa segunda-feira. Colegas do ciclismo prometem fazer um ato para homenagear Hugo, descrito como um amante do esporte. Eles vão seguir de bicicleta em um cortejo até o Cemitério da Saudade, em bairro homônimo na Região Leste, onde acontecerá o sepultamento.

Hugo foi atropelado durante um treino em uma estradas na Grande BH(foto: Reprodução/Redes Sociais)
Hugo foi atropelado durante um treino em uma estradas na Grande BH (foto: Reprodução/Redes Sociais)


O velório teve início 7h desta terça-feira. Aos poucos, dezenas de pessoas chegavam na igreja para se despedirem do ciclista. “Hugo sempre foi uma pessoa que amou o esporte e infelizmente morreu praticando o que mais amava”, disse o analista de sistemas Hélio de Sousa Lima Filho, de 39 anos, que conheceu o colega justamente por causa do pedal.


Dezenas de ciclistas foram até o velório para o último adeus ao colega (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A.Press)
Dezenas de ciclistas foram até o velório para o último adeus ao colega (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A.Press)
Segundo o analista de sistemas, diversos ciclistas vão se reunir no local para prestar uma homenagem a Hugo. “Faremos um cortejo junto com o carro fúnebre até o Cemitério da Saudade. Lá, vamos fazer como se fosse uma continência levantando as rodas da frente das bicicletas”, afirmou. “Além da homenagem, queremos chamar a atenção das autoridades quanto a fragilidade da bike, pois em cima das bicicletas tem uma vida. Como a própria lei de trânsito determina, é um veículo e tem o direito e obrigação de andar nas ruas, avenidas e rodovias, respeitando as leis de trânsito”, completou.


Ciclistas vão fazer uma homenagem na manhã desta terça-feira(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A.Press)
Ciclistas vão fazer uma homenagem na manhã desta terça-feira (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A.Press)

O acidente ocorreu na manhã de 3 de janeiro no km 286 da rodovia MGC-262. Depois de pedalar até Caeté, Hugo retornava pela via em direção a Belo Horizonte. Em uma curva para a direita, bateu de frente com um veículo Ford Fiesta. O condutor do carro, de 31 anos, afirmou que seguia em sua mão de direção, no sentido Caeté, quando surgiu o ciclista. Testemunhas, porém, disseram que o Fiesta teria entrado na pista contrária e atropelou o ciclista.

Equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestaram os primeiros socorros. Hugo Cavanelas teve fraturas múltiplas e traumatismo cranioencefálico. Levado para o HPS de BH, ele foi submetido a cirurgia e levado à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). O carro foi apreendido e levado para o patio de Sabará, já que a documentação está irregular, tendo sido apresentado apenas o registro de 2016.

Bicicleta ficou retorcida depois do impacto com o carro(foto: Reprodução internet/Facebook)
Bicicleta ficou retorcida depois do impacto com o carro (foto: Reprodução internet/Facebook)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade