Publicidade

Estado de Minas

Kalil faz visita surpresa e aprova espaço para camelôs em shopping popular de BH

Prefeito e Belo Horizonte visitou o local pela primeira vez depois que a fiscalização contra a presença de ambulantes nas ruas foi intensificada


postado em 21/12/2017 06:00 / atualizado em 21/12/2017 11:04

Kalil visitou, pela primeira vez, área destinada aos camelôs no Shopping Uai(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
Kalil visitou, pela primeira vez, área destinada aos camelôs no Shopping Uai (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
Depois de visitar as instalações das duas novas unidades de acolhimento institucional para população em situação de rua Anita Gomes dos Santos, na Avenida Paraná, no Hipercentro de BH, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) surpreendeu os assessores e seguranças que o acompanhavam e resolveu caminhar até o Shopping Uai, em frente ao Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip). Acompanhado do vereador Léo Burguês de Castro (PSL), líder de governo na Câmara Municipal, Kalil foi conferir a situação dos camelôs que trabalham no local. Em julho, a Prefeitura de BH iniciou operação para retirar os ambulantes das ruas do Hipercentro, encontrando bastante resistência dos vendedores, que chegaram a protestar e bloquear o trânsito nas vias do Centro ao longo da primeira semana de funcionamento da operação. Atualmente, 390 camelôs que vendiam seus produtos nas ruas e calçadas do Centro estão trabalhando dentro do Shopping Uai, mas ainda há mais de 100 vagas ociosas no centro de compras.

A configuração dos ambulantes dentro do shopping agradou o prefeito, que visitou o local pela primeira vez depois que a fiscalização contra a presença de ambulantes nas ruas foi intensificada. “É o melhor caminho. O planejamento (para os camelôs) será feito dessa forma, humana, mas pondo ordem na cidade”, disse Kalil, garantindo que essa mesma lógica será aplicada em outras regiões da capital mineira. Enquanto caminhava por entre os boxes criados por uma parceria entre a prefeitura e a administração do shopping, Kalil foi abordado por três pessoas, sendo que um dos vendedores pediu atenção do prefeito ao comércio do Centro. Outros dois ambulantes, que vendiam na rua e se mudaram para o Shopping Uai devido à operação de fiscalização deflagrada em julho, elogiaram o prefeito e agradeceram a oportunidade.

De acordo com a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, 997 camelôs que tinham atuação no Hipercentro de BH foram cadastrados pela administração municipal. Destes, 390 ocuparam boxes criados no Shopping Uai e estão trabalhando no local. Porém, foram aberta 511 vagas, o que significa que 121 permanecem ociosas e os boxes estão fechados. A secretaria estipulou prazo até o dia 29 para que os vendedores procurem a prefeitura para ocupar as vagas remanescentes.

VENDA NOVA Na semana passada, foi a vez da operação integrada de fiscalização chegar até a Região de Venda Nova, que concentrava um número grande de camelôs, especialmente na Rua Padre Pedro Pinto. Na região, a prefeitura cadastrou 292 camelôs e conseguiu a oferta de 672 vagas para esse grupo no Shopping O Ponto, que fica na Rua Padre Pedro Pinto. Ontem, foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) a relação oficial com os nomes, procedimento obrigatório antes da destinação das vagas. Porém, segundo a PBH, antes da ratificação das novas posições de trabalho, 50 camelôs já estão trabalhando dentro do centro de compras com o aval da administração. De acordo com a Secretaria de Política Urbana, a intenção da prefeitura é estender esse trabalho, gradativamente, para todas as regiões da cidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade