Publicidade

Estado de Minas

PM mineiro fica famoso ao cantar com Aline Barros em aplicativo

O dueto do Sargento Emerson foi gravado sem que ele chegasse sequer perto da celebridade góspel


postado em 16/09/2017 06:00 / atualizado em 16/09/2017 08:49


São mais de 4 milhões de visualizações nas redes sociais. No vídeo, um sargento de Uberaba, no Triângulo Mineiro, solta a voz ao lado da cantora gospel Aline Barros. Ela o encoraja, elogia, sorri. Ele está visivelmente emocionado. E deixa fluir uma voz marcante, que tem feito o dueto da música Ressuscita-me ganhar a internet. O militar Emerson Duarte Lino, de 38 anos, postou o material na última quinta-feira de agosto e não esperava tanta repercussão para uma gravação que parece ter sido feita de maneira simultânea, mas contou apenas com os recursos de um celular e de um aplicativo. Ele não conhece, nunca viu nem gravou verdadeiramente com a celebridade evangélica.

No vídeo, é perceptível que os dois estão em ambientes diferentes. Mas é tão benfeito que leva o expectador a pensar que gravaram, embora de lugares diferentes, simultaneamente. Ou, pelo menos, que, em algum momento, a música foi editada para agregar as duas vozes, como fazem os estúdios. Mas o sargento nunca viu Aline, não trocou palavra alguma com ela e nem fez participação especial. Muito menos cantou junto. Ele usou os artifícios de um aplicativo que permite cantar sem sair de casa com gente do mundo inteiro.

Simples assim. Você manda um convite eletrônico e seu “parceiro” aceita ou não. No caso de Ressuscita-me, Aline Barros gravou a parte dela e disponibilizou um link para que, quem quiser soltar a voz “junto com ela”, possa fazê-lo. Imaginando cada reação de quem decide fazer o dueto, ela faz gestos e movimentos faciais que dão mesmo a impressão de que está cantando simultaneamente. “Solta a voz! Isso! Está lindo”, são algumas das frases que a cantora diz.

Visualizações


Com o celular, Emerson Lino abriu a câmera. E com o fone de ouvido, escutou a parceira. E mandou brasa. “Não imaginava essa quantidade de visualizações. Só a página da Polícia de Uberaba tem cerca de 2,6 milhões. Outras estão com mais de 100 mil cada uma, chegando próximo dos 3 milhões no total”, afirma.

O sargento é da banda de música da 5ª Região de Polícia Militar e diz ter tido influência dos amigos, a maioria deles, evangélicos. Tecladista por origem e trombonista da banda, ele toca vários instrumentos, além de cantar. “Sou intérprete, por causa dos meus amigos, da música gospel, e simpatizante desses estilo de canções”, diz.

Ele jura que nunca tinha pensado em cantar, mas vê na fama instantânea a oportunidade de levar o nome da PM para mais longe. “Já tive contato com pessoas de Rondônia, do Ceará. Estou abismado! A cada meia hora, eram 20 mil visualizações. Isso é muito rápido”, relata. Rápido foi também o tempo que gastou para gravar. Uma passada só. Em questão de minutos. Um pouco antes de sair para o batalhão.

As mensagens do país afora o motivaram a criar seu próprio canal no YouTube (Emerson Duarte). “Saiu bem natural. Acabei viajando na música”, afirma. Agora, a missão é não deixar a coisa esfriar. Ele já prepara outro vídeo e diz que, “já, já”, haverá novidades do sargento cantor.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade