Publicidade

Estado de Minas

Em baile em grande estilo, 48 adolescentes de aglomerados de BH comemoram 15 anos

A festança aconteceu em um famoso buffet de Belo Horizonte e teve apoio de 100 patrocinadores


postado em 09/09/2017 06:00 / atualizado em 09/09/2017 07:56


O coração bateu acelerado, quase saiu pela boca e depois, na hora H, entrou no compasso da alegria, no ritmo da juventude e na pulsação da festa. Mas tinha muito mais a caminho. Passada a expectativa natural, chegava o momento de se encantar com o ambiente, deixar o corpo seguir a música e ser tocado pela emoção em estado absoluto. Na noite de quarta-feira, 48 adolescentes de aglomerados de Belo Horizonte – 26 meninos e 22 meninas – participaram do baile de debutantes Meus 15 anos, iniciativa da Associação Projeto Providência, da Arquidiocese de BH, com o apoio solidário de 100 patrocinadores. Impecável do início ao fim, a comemoração incluiu o “dia de princesa” com produção caprichada nos cabelos, maquiagem e unhas em quatro salões de beleza da cidade. Já os garotões, três dias antes, ganharam corte de cabelo e trato necessário para aparar os primeiros fios da barba.

Junto da confraternização festiva, este ano no Buffet Catharina, na Região Oeste, o Providência atua também para garantir a inserção dos jovens no mercado de trabalho. Portanto, além de eletrizados pelo clima, 12 deles comemoravam o primeiro emprego via programa Jovens Aprendizes. Caso da sorridente Inês de Paula, moradora da Granja de Freitas, na Região Leste, que, à tarde, se entregou aos cuidados da equipe do salão Nouveau, no Bairro Sion.

“Estou com o coração batendo, nem dormi direito na noite passada. A cabeça ficou cheia de imaginação”, contou a adolescente, vestida com um roupão rosa e nome bordado nas costas, a exemplo de todas as meninas que se preparavam para a grande noite. “A data é importante, mistura felicidade e responsabilidade. Meus pais jamais teriam condições financeiras de me proporcionar algo assim. E ainda vou trabalhar na próxima segunda-feira”, afirmou Inês, que no futuro pretende ser militar e ajudar “a fazer um país melhor”.

No mesmo salão de beleza, as meninas revelavam seus sonhos, enquanto trocavam os rolinhos pelos cabelos soltos, realçavam o olhos com sombra e secavam as unhas na maior elegância. Solene Eduarda Batista do Nascimento, moradora do Taquaril, não escondia a ansiedade e admirava a pulseira de pedras azuis. Colar e brincos com brilhos compunham o visual. “Sonhei muito com a festa. Sou muito segura e pretendo me preparar bem para o futuro. Não vou namorar até me formar e conseguir um emprego”, disse Solene Eduarda que, a exemplo de Inês, quer seguir a vida militar, tendo ainda como opções arquitetura e designer.

Cabelos louros soltos, tiara de strass e olhos verdes, Kennya Soares também confessou o batimento cardíaco acelerado. “Já me imagino dançando a valsa daqui a poucas horas”, disse a jovem apaixonada pela família – “ela é meu suporte” – e de olho na carreira de informática. Também vislumbrando “o tempo inteiro” o dia de princesa, ela entregou as madeixas à cabeleireira Andréa Gomes e o rosto à dona e maquiadora do Nouveau, Christianne Radespiel, que tem como sócia Regina Piuzana.

“Nada melhor do que ver o rosto de felicidade das meninas neste dia de glamour. Colaborar com o projeto é um presente para nós”, afirmou Christianne, que pôs à disposição da turma seis manicures, uma “xampunista”, cinco cabeleireiros e se encarregou pessoalmente da maquiagem também de Mírian Marta de Oliveira Sá, Jéssica da Silva e Weidima Gomes.

FESTA DOS SONHOS Eram 20h quando os jovens, em pares – ternos escuros contrastando com vestidos longos, a maioria brancos – entraram no Buffet Catharina, que cedeu o espaço, preparado para a festa com 300 pessoas, sendo recebidos com decoração esmerada de flores e frutos, mesa de doces, bolo gigante com uma vela para cada um, luzes e música. As famílias se acomodaram nas mesas com o nome de cada debutante numa placa. Depois de se esbaldar na pista, o grupo saiu novamente e voltou em alto estilo para a valsa dos 15 anos. E fez bonito com os volteios da coreografia bem ensaiada. Impossível não imaginar, em cada jovem, histórias de família, dificuldades e o tamanho da felicidade.

“Vou lembrar deste dia para sempre”, confessou, logo depois da valsa, Alex Henrique de Lana Gomes, morador do Jardim Vitória, acompanhado pelos pais Andréa Aparecida Nunes de Lana, doméstica, e Waldir Gomes, armador. Marcos Pereira Silva, do mesmo bairro, gostou do seu dia de príncipe e Yuri Gabriel Jardim de Almeida, com os pais Maiara Pereira Jardim, grávida de seis meses, e Bruno César de Almeida da Silva, metalúrgico, e os irmãos João Miguel, de 10, e Isabela, de 8, viu na celebração um momento de liberdade. “Está todo mundo livre para realizar seu sonho. Mais do que um príncipe, me sinto um rei. Estamos sendo bem tratados demais.”

Para Aldair José Almeida de Souza, do Taquaril, a data será inesquecível. À mesa, estavam a mãe, Edna Dias Souza, auxiliar de limpeza, e os irmãos Maria Eduarda, de 7, e Thauane Vitória, de 4. Acompanhando a movimentação, o bispo auxiliar de Belo Horizonte, dom Joaquim Giovani Mol, disse que a iniciativa sinaliza a importância da dignidade de todas as pessoas e não só de alguns. “É motivo de alegria e inclusão”, resumiu.

COLABORAÇÃO Sem conter as lágrimas, a diretora do Projeto Providência, Fernanda Flaviana Martins, explicou que, muito mais do que realizar o sonho de 48 adolescentes, a festa envolve toda as famílias e as comunidades: “Eleva a autoestima, promove a confraternização e une formação humana e empregabilidade”. Com quase 30 anos de atividades, o Providência sempre promoveu, embora em suas dependências, a festa de debutante, o que só não ocorreu durante três anos. “A festa resulta da força da doação e do trabalho voluntário.”

Também emocionada, a “madrinha” dos meninos e meninas, a cerimonialista Daniele Cerqueira, da DC Eventos, que organizou a festança em três meses e conseguiu os patrocinadores, exultava de satisfação. “Tudo nesta celebração é do melhor, fornecedores classe A. Só para a decoração, foram 12 empresas”, disse Daniele, que se preocupou com todos os detalhes, da mesa de doces ao jantar, da equipe de recepção aos DJs, passando pelas lembranças aos adolescentes. E mais: cada um ganhou um book fotográfico para contar esse capítulo especial da vida.

No final, como não poderia deixar de ser, a garotada caiu no funk, gastando energia, e ainda fazendo muitas selfies com familiares e amigos. Alguns mais animados subiram no palco e fizeram agradecimentos ao microfone. Uma surpresa legal, sem dúvida, foi a presença de três integrantes do Camarero BH – Soluções em Eventos. Com malhas coloridas, rostos cobertos e balões coloridos sobre a cabeça, eles dançaram com os convidados, ajudaram a receber as famílias e, na hora do parabéns, levaram o bolo até o meio da pista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade