Publicidade

Estado de Minas

Homem preso com 18 mil comprimidos de ecstasy vendia a droga em festas de BH

Marcos Cezar Souza Junior, de 37 anos, também vai responder por adulteração de sinal identificador de veículo, receptação, uso de documento falso e porte de arma


postado em 29/08/2017 14:47 / atualizado em 29/08/2017 22:25

O homem foi preso na última quinta-feira na Região Nordeste de BH(foto: Polícia Civil / Divulgação)
O homem foi preso na última quinta-feira na Região Nordeste de BH (foto: Polícia Civil / Divulgação)

Um dos traficantes responsáveis pela distribuição de ecstasy em festas de Belo Horizonte e região metropolitana foi preso pela Polícia Civil. Marcos Cezar Souza Junior, de 37 anos, foi localizado na última quinta-feira com mais de 18 mil comprimidos da droga. Ele foi apresentado nesta terça-feira. As investigações apontam que o material era transportado do Rio de Janeiro para a capital mineira. De acordo com o delegado Enelton Carracci, o investigado ostentava carros de luxo, frequentava festas de alto padrão, além de usar celulares de última geração. Além de tráfico, Marcos também vai responder por adulteração de sinal identificador de veículo, receptação, uso de documento falso e porte ilegal de arma de fogo.

As investigações começaram depois que a Polícia Civil recebeu informações de que o homem estaria utilizando documentos falsos de veículos e carros roubados para fazer o tráfico de drogas entre o Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Na última quinta-feira, Marcos foi preso em um bairro da Região Nordeste da capital mineira em um Ecosport roubados e com sinais de identificadores retirados.

Na abordagem, Marcos apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa, em nome de Ronimarcos. Durante as buscas no automóvel, forma encontrados seis porções de ecstasy. Na casa dele, também foram apreendidos mais comprimidos da droga, que no total chegou a 18 mil. Além disso, ele estava com vários espelhos de identidade e outros documentos falsos.

“A gente estima que a droga está avaliada em R$ 700 mil. São drogas sintéticas que tem público específico, de padrão financeiro melhor. Ela era distribuída em festas da capital e da região metropolitana. Ele andava em carros de luxos, estava em festas de alto valor de entrada em BH, e ostentava celulares de última geração”, afirmou o delegado Ednelton Carracci, da 5ª delegacia especializada em furtos e roubos de veículos, responsável pela investigação.

Além do tráfico de drogas, Marcos também é investigado por outros crimes. Ele tinha diversas carteiras de identidade falsas, e ainda produzia o documento para terceiros. “Fazia documentos para o próprio uso. Tinha ao menos 10 identidades falsas e fazia para terceiros também. A partir do momento que o indivíduo tem identidade falsa com aparência de verdadeira e consegue os dados de terceiros, pode comprar qualquer tipo de objeto pela Internet, passar cheques sem fundo, e praticar outros golpes na praça”, explicou o delegado. O prejuízo causado por ele ainda será contabilizado.

A Polícia Civil apreendeu na residência do homem um revolver calibre 32, 52 munições calibre 22, máquinas utilizadas para clonagem de cartões, diversos documentos e cheques, e uma balança de precisão. Ele foi preso em flagrante por tráfico de drogas, adulteração de sinal identificador de veículo, receptação, uso de documento falso e porte ilegal de arma de fogo.

O homem foi encaminhado para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Gameleira. Ao ser apresentado nesta terça-feira, Marcos preferiu ficar calado.

RB

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade