Publicidade

Estado de Minas

"Eu nunca vi isso", diz testemunha de ataque com faca que feriu três na Zona Sul de BH

Um dos feridos é médico e precisou passar por cirurgia nesta manhã, outras duas mulheres apresentam quadro de saúde estável


postado em 28/08/2017 11:29 / atualizado em 28/08/2017 16:33


Um homem de 24 anos esfaqueou três pessoas e foi preso em seguida na região do Bairro Funcionários, Centro-Sul de Belo Horizonte na manhã desta segunda-feira. O suspeito é morador do Algomerado da Serra e, segundo a PM, teve um surto psiquiátrico.

De acordo com a Polícia Militar, André Alves Martins se exaltou em um ponto de ônibus da Rua do Ouro, no Bairro Serra, também no Centro-Sul de BH, e feriu uma mulher com uma facada de raspão no braço direito. Próximo ao cruzamento das ruas do Ouro e Monte Alegre, outra vítima foi atacada pelo homem com uma perfuração nas costas.

Populares tentaram prender o agressor, mas, segundo a PM, ele conseguiu fugir e entrou em confronto com um médico que tentou socorrer uma das vítimas. O médico acabou ferido na barriga e, de imediato, teve de dar entrada no hospital em que trabalha, na região, onde precisou passar por uma cirurgia. 

As outras duas vítimas foram socorridas e encaminhadas ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. O quadro de saúde das mulheres é estável e não será necessário passar por cirurgia, conforme a PM. 

André Alves foi preso na Avenida do Contorno por um policial militar que passava pelo local. O PM foi informado por populares que o homem havia ferido três pessoas anteriormente. Foi verificado também que André tem passagens por furto e receptação e que apresenta transtornos mentais. 

Comerciantes que presenciaram a ação do homem relataram que, no momento da primeira agressão, o ponto de ônibus estava cheio e que havia muitas pessoas circulando pela Rua do Ouro. "Eu estava aqui dentro da minha lojinha com uma funcionária e de repente foi uma gritaria e muita gente entrou aqui dentro falando que um homem tinha dado uma facada em uma mulher. O pessoal estava desesperado e em pânico", disse o dono de uma lanchonete do local. 
 
Um outro comerciante, que trabalha na rua há 13 anos, disse que nunca viu algo como o ocorrido desta manhã. "Eu já vi assalto e roubo, mas eu nunca vi isso aqui. Uma correria e uma gritaria das pessoas que ficaram com medo, depois pessoas que trabalhavam em uma construção pegaram madeiras e tentaram bater no cara, mas ninguém conseguiu pegar ele." 

Segundo o homem, a sensação de impotência foi grande e que não dá para livrar o homem por uma doença. "É uma sensação ruim e de medo, mas a gente tem que seguir e trabalhar. Só que falar de doença para explicar um ataque é errado. "Foi a primeira vez que presenciei uma situação assim e não quero presenciar mais," relatou. 

Em entrevista à TV Alterosa, André Alves disse que esfaqueou as pessoas para roubar os celulares. De acordo com o homem, que estava com sinais de ter feito o uso de drogas, os aparelhos seriam vendidos e o dinheiro seria utilizado para comprar drogas. 
 
*Sob supervisão do editor Benny Cohen
 

 


 



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade