Publicidade

Estado de Minas

Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Ouro Preto, é reaberta depois de dois anos de obras

As obras duraram dois anos sob comando do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)


postado em 18/08/2017 21:20

Foram investidos cerca de R$ 4 milhões no restauro arquitetônico(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Foram investidos cerca de R$ 4 milhões no restauro arquitetônico (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Ouro Preto – De portas abertas para a devoção, comunhão dos fiéis e beleza do patrimônio cultural de Ouro Preto, na Região Central. Em clima de festa, foi entregue na tarde desta sexta-feira, à comunidade local, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição, mais conhecida como Matriz de Antônio Dias, no Centro Histórico da cidade reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (Unesco). “Estamos felizes, pois nova etapa está assegurada, para restauro dos elementos artísticos”, disse o titular da paróquia, cônego Luiz Carneiro.

As obras duraram dois anos sob comando do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas – de acordo com a autarquia federal, foram investidos cerca de R$ 4 milhões no restauro arquitetônico do bem.

 A primeira etapa contemplou a recuperação estrutural do edifício, com substituição de instalações elétricas, bem como prevenção e combate a incêndio. Outra importante mudança foi a pintura nas cores originais da igreja, resgatadas por meio de prospecções cromáticas, iconografia histórica e no relato dos antigos moradores. Sem dúvida, a intervenção figura como destaque de 2017 na cidade, berço de Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, que foi sepultado nesse templo sob o altar de Nossa Senhora da Boa Morte. O pai de Aleijadinho, Manuel Francisco Lisboa, também está sepultado no templo. Conforme estudo recente, o mestre do barroco nasceu em 1737, portanto há 280 anos, embora a polêmica exista, pois outros historiadores falam em 1730 e 1738, esse último dado como oficial.

Uma das mais antigas igrejas de Minas, com construção iniciada em 1727, e também uma das maiores em tamanho e suntuosidade, a Igreja Matriz de Antônio Dias foi tombada isoladamente pelo Iphan em 1939. Ela foi uma das ações selecionadas para receber os investimentos do PAC Cidades Históricas, que também restaurou os chafarizes do Centro Histórico de Ouro Preto e prevê ainda a execução de outras 13 ações no município.

 A solenidade de entrega da primeira etapa de obras teve a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa, da superintendente do Iphan em Minas, Célia Corsino, do prefeito de Ouro Preto, Júlio Pimenta, do arcebispo de Mariana, dom Geraldo Lyrio Rocha e representantes da paróquia e do Museu Aleijadinho. A cerimônia terá ainda a apresentação do Coral Canto Crescente, projeto sociocultural de formação musical de crianças e adolescentes da cidade, e exibição do documentário Esperando Conceição, produzido pela jornalista Lidiane Andrade com a comunidade da paróquia, no âmbito do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural, do Iphan

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade