Publicidade

Estado de Minas

Ex-miss Minas Gerais é presa suspeita de integrar esquema de fraude em Esmeraldas

Mulher é casada com o empresário Enilson Custódio de Melo Barcelos, preso no dia 17 de julho, na cidade da Grande BH, suspeito dos crimes de lavagem de dinheiro e fraude em licitações do transporte escolar


postado em 15/08/2017 15:13 / atualizado em 15/08/2017 19:25

A ex-miss Minas Gerais Tatiane Kelen foi detida na casa onde mora em Brumadinho, na Grande BH(foto: Marcos Michelin/EM/D.A.Press)
A ex-miss Minas Gerais Tatiane Kelen foi detida na casa onde mora em Brumadinho, na Grande BH (foto: Marcos Michelin/EM/D.A.Press)

A mulher considerada maior símbolo da beleza do estado em 2005, a ex-miss Minas Gerais Tatiane Kelen Barbosa Alves Barcelos foi detida na manhã desta terça-feira, 15, na casa onde mora, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A Polícia Civil confirmou a prisão da mulher, que é casada com o empresário Enilson Custódio de Melo Barcelos, preso no dia 17 de julho, em Esmeraldas, também na Grande BH, suspeito dos crimes de lavagem de dinheiro e fraude em licitações de transporte escolar em Esmeraldas. Tatiane Kelen é apontada como integrante do esquema e foi presa pela suspeita de lavagem de dinheiro, organização criminosa e outros delitos.

De acordo com o delegado Fábio Moraes Neto, Esmeraldas, o cumprimento do mandado de prisão da mulher é um desdobramento à operação Ptolomeu, da Polícia Civil, que foi realizada em julho, ocasião em Enilson foi preso. O pedido de prisão foi feito pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e concedido pela Justiça nessa segunda-feira.

Logo após ser detida, Tatiane foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) de Ribeirão das Neves, na Grande BH e, em seguida, levada para o sistema prisional. A unidade não foi divulgada pela Polícia Civil.

 

OPERAÇÃO PTOLOMEU

Na primeira fase da Operação Ptolomeu, a Polícia Civil cumpriu mandados de prisão, busca e apreensão, e de condução coercitiva em Esmeraldas e Brumadinho, ocasião em que dois ex-prefeitos de Esmeraldas também foram presos preventivamente, Flávio Leroy e Glacialdo de Souza, além de outras 12 pessoas, incluindo Enilson.

A assessoria da Polícia Civil informou ainda que outras quatro pessoas foram presas em flagrante. Durante a operação foram apreendidos documentos e veículos com o objetivo de confirmar os indícios de crimes contra o patrimônio público levantados durante a investigação. 

 

.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade