Publicidade

Estado de Minas

Investigações apontam que morte de mulher encontrada junto às filhas foi premeditada

Edson Pereira da Silva, de 65 anos, confessou o assassinato da ex-companheira e do cunhado, por ciúmes da mulher


postado em 10/08/2017 19:12 / atualizado em 10/08/2017 21:46

Os assassinatos aconteceram dentro de uma casa em Tumiritinga(foto: Agência Rede Alerta)
Os assassinatos aconteceram dentro de uma casa em Tumiritinga (foto: Agência Rede Alerta)

As investigações sobre o assassinato de uma mulher e o irmão dela na madrugada de quarta-feira em Tumiritinga, no Vale do Rio Doce, mostram que o crime foi premeditado. Edson Pereira da Silva, de 65 anos, ex-companheiro da vítima, Marineide Ferreira dos Santos, de 28, confessou o duplo homicídio e, informou em depoimento, que queria fazer o crime perfeito. Ele foi preso em flagrante por feminicídio e homicídio qualificado, por meio que dificultou o a defesa da vítima.

O crime aconteceu na madrugada em uma casa da Rua Nove, no Bairro Nova Tumiritinga. As duas vítimas, Marineide e o irmão dela, Jeovane Ferreira dos Santos, de 18, foram assassinados com golpes de marreta. Os corpos foram encontrados pela babá das crianças, de 15 anos, no início da manhã. A jovem relatou aos policiais que as duas filhas da mulher, de 1 e 5 anos, estavam debruçadas sobre ela e chorando. O tio delas estava em um colchão na sala, também já sem vida.

Levantamentos dos militares indicaram que um dos suspeitos do crime seria o marido da mãe das crianças. Segundo a PM, testemunhas contaram que ele esteve na casa na madrugada. Ele foi para o local do crime, horas depois, e acabou preso. O suspeito foi levado para a delegacia de Conselheiro Pena, na mesma região, onde contou detalhes sobre o crime.

Ex-companheiro de uma das vítimas confessou o crime(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Ex-companheiro de uma das vítimas confessou o crime (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Em um primeiro momento, Edson colocou a culpa do assassinato no cunhado. Em alguns momentos do depoimento, chegou a se emocionar, mas depois confessou o crime. Disse que os motivos seriam passionais. “Durante o interrogatório começamos a questioná-lo sobre quais foram seus passos no fim de semana. A partir daí começamos a perceber que ele havia criado toda uma estratégia premeditada”, disse o delegado Douglas Ferraz Veloso, responsável pelas investigação.

De acordo com a Polícia Civil, o homem disse que queria cometer o "crime perfeito". Ele contou que, por volta das 2h, pegou uma motocicleta que estava dentro de um bar e seguiu até a casa onde estavam as vítimas. No local, sem chamar a atenção dos moradores, pegou uma marreta. O primeiro a ser assassinado foi o cunhado, que dormia na sala. Em seguida, foi até o quarto onde estava a ex-companheira.

O homem contou que resolveu cometer o homicídio por ciúmes da companheira e por medo de perdê-la. Sobre a morte de Jeovane, disse que ele poderia ser um empecilho. Edson Pereira da Silva foi preso em flagrante e encaminhado ao sistema prisional, onde permanece à disposição da Justiça.

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade