Publicidade

Estado de Minas

Empresário do goleiro Bruno é acusado de matar enteado na Grande BH

Lúcio Mauro de Melo Rodrigues, de 45 anos, que negociou ida do jogador para o Boa Esporte, teria atirado contra Rodrigo da Silva durante discussão familiar, segundo PM


postado em 18/05/2017 17:34 / atualizado em 18/05/2017 18:04

Lúcio Mauro, em Varginha, no Sul de Minas, para negociar o contrato do goleiro Bruno com o Esporte Clube em março (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A.Press 13/03/2017)
Lúcio Mauro, em Varginha, no Sul de Minas, para negociar o contrato do goleiro Bruno com o Esporte Clube em março (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A.Press 13/03/2017)
O empresário do goleiro Bruno, responsável por fechar o contrato do jogador com o Boa Esporte, Lúcio Mauro de Melo Rodrigues, de 45 anos, é acusado de matar o enteado dele na tarde desta quinta-feira. O crime ocorreu na casa da vítima, Rodrigo da Silva Pereira Almeida, de 20, em Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a Polícia Militar, o assassinato teria sido motivado por uma discussão familiar, depois que Rodrigo agrediu a própria mulher com chutes e tentou enforcá-la, momentos antes da intervenção de Lúcio na briga.

A Polícia Militar foi acionada via 190. Ao chegarem no local, constataram que o corpo de Rodrigo estava caído no quintal da residência, localizada na Rua Vilma Pietra Moreira, no Bairro São Paulo. Uma ambulância do município foi acionada, mas quando a equipe de saúde chegou, o homem já não apresentava mais sinais vitais.

Ele foi atingido por um disparo de arma de fogo. Aos militares, a mulher de Lúcio e mãe de Rodrigo, cujo nome ainda não foi divulgado, contou aos policiais que o crime ocorreu por volta das 14h e que muitas pessoas já tinham entrado na casa quando da chegada da PM, 40 minutos depois do crime.

Na versão apresentada pela mulher, seu marido Lúcio foi quem disparou contra Rodrigo – enteado que o autor teria criado desde pequeno –, depois de tentar conter a briga do jovem com a esposa, que inclusive apresentava escoriações no pescoço.

Ao perceber a discussão, Lúcio teria retirado sua esposa e a nora de dentro da casa e ficado sozinho com Rodrigo, discutindo. As mulheres ouviram a vítima Rodrido gritar, ameaçando matar a esposa, seu filho com ela e ainda sua mãe. E que, nos instantes seguintes, um disparo foi ouvido.

De acordo com a PM, quando as mulheres chegaram ao local encontraram a vítima caída no chão. Elas ainda tentaram levantá-lo para prestar socorro, mas Rodrigo já não apresentava pulsação. O suspeito Lúcio, que além de empresário foi também candidato a vereador em Matozinhos, fugiu após o crime e ainda não havia sido localizado pela polícia até por volta das 17h30.

A arma do crime também não foi encontrada pelos militares, que mantêm o rastreamento na região. A ocorrência será encerrada na 8ª Delegacia de Matozinhos. A Polícia Civil vai investigar o caso. Até esta tarde, duas pessoas foram ouvidas: a mãe da vítima e a esposa dele. A Polícia Civil informou que o teor do depoimento não será divulgado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade