Publicidade

Estado de Minas

Em ação pioneira, PRF testa sonômetro na saída para o feriado da semana santa

Tecnologia que realiza testes referentes à sonolência usando o cálculo de fadiga e uma plataforma de força foi desenvolvida na UFMG


postado em 13/04/2017 12:55 / atualizado em 13/04/2017 12:58

Sonômetro é testado pela PRF(foto: Gladyston Rodrigues)
Sonômetro é testado pela PRF (foto: Gladyston Rodrigues)
Durante a manhã desta quinta-feira, em ação de abertura da operação especial para a semana santa, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) testou o sonômetro, aparelho que mede o nível de fadiga os motoristas e o risco de acidentes. A ação aconteceu no posto da PRF na BR-381 em Betim, na Grande BH.

O sonômetro foi desenvolvido pela equipe do professor Marco Túlio de Mello, da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (EEFFTO) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com intuito de alertar eventuais condutores que não estão aptos a seguir a viagem devido ao cansaço físico e mental. Minas Gerais é o primeiro estado brasileiro a realizar testes com uma tecnologia que mede sono e fadiga. 

O sonômetro funciona da seguinte forma: o condutor sobe em uma balança adaptada para medir os movimentos do corpo. Os dados são enviados para softwares desenvolvidos para analisar a fadiga e a sonolência por meio do equilíbrio.

Durante a manhã, a PRF fez a intervenção com motoristas, que foram convidados a participar da avaliação. Eles subiram na plataforma de força e a equipe do professor Marco Túlio observou o equilíbrio de cada um para calcular a fadiga e o risco de acidente.

Operação


Durante a ação da PRF, os condutores também puderam aferir a pressão arterial e receber orientações sobre prevenção da hipertensão. Além disso, os motoristas também participaram do cinema rodoviário, projeto que leva informações sobre a boa conduta no trânsito.

A operação especial da PRF no feriadão segue até o próximo domingo e conta com 950 policiais atuando exclusivamente nas fiscalizações das BRs. Além deste reforço, a PRF também terá um helicóptero, 31 radares móveis e 150 bafômetros espalhados pelas viaturas que vão atender as ocorrências. 

Segundo a corporação, a estratégia usada será a de rondas ostensivas e também o posicionamento de viaturas em pontos já conhecidos por serem mais críticos tanto do ponto de vista de acidentes quanto de infrações.
 
Ver galeria . 20 Fotos Os condutores também puderam aferir a pressão arterial Gladyston Rodrigues/EM/DA Press
Os condutores também puderam aferir a pressão arterial (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade