Publicidade

Estado de Minas

Em greve, PF promete divulgar documento com falhas de segurança nos aeroportos

Sindicatos fizeram levantamento durante a operação padrão e elaboraram lista com principais protocolos de fiscalização aeroportuária que não são cumpridos


postado em 20/08/2012 20:22 / atualizado em 20/08/2012 21:03

Policiais se reuniram em frente à Assembleia para protestar nesta segunda(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
Policiais se reuniram em frente à Assembleia para protestar nesta segunda (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)

Os sindicatos que representam os policiais federais prometem divulgar nessa terça-feira uma lista com as principais falhas de fiscalização e protocolos que colocam em risco a segurança nos aeroportos brasileiros, entre eles, o do Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH. Os dados contidos no documento, apresentado nesta segunda-feira ao governo federal, foram obtidos durante a operação padrão realizada pela categoria, em greve desde o início deste mês.

A elaboração do relatório foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Policiais Federais em Minas Gerais (Sinpef), Renato Deslandes. "São informações muito graves, mas diante da omissão do governo e do sucateamento da polícia, a partir de amanhã (terça-feira) esse documento vai ser divulgado", garantiu Deslandes.

Segundo o sindicalista, o texto mostra as principais tarefas que a corporação não tem como executar. "Ele (o documento) lista as atividades que hoje não conseguem ser cumpridas pela carência de investimentos na Polícia Federal e faz uma lista de organismos internacionais para os quais serão encaminhadas representações contra o governo do Brasil", explicou o presidente da Sinpef.

Ainda de acordo com Deslandes, os sindicatos pretendem acionar a Organização da Nações Unidas (ONU), a Organização dos Estados Americanos (OEA) e a Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) pelo "descumprimento de obrigações do Brasil perante tratados e convenções internacionais de combate ao terrorismo".

Protestos

Na noite desta segunda-feira, cerca de 60 policiais se reuniram em frente à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para protestar. Com mordaças e velas, eles reivindicaram melhores condições de trabalho e a reestruturação no plano de carreira. Agentes, escrivães e papiloscopistas estão inseridos na carreira de nível superior, porém, atualmente recebem salário inicial de cerca de R$ 7,7 mil, piso para profissionais que possuem apenas Ensino Médio. Os policiais exigem o piso de R$ 12 mil, valor pago para quem possui terceiro grau completo. Outra manifestação está prevista para a tarde dessa terça-feira, às 14h, também na porta da ALMG.

Proposta

Na última quinta-feira, o governo disse que chegou ao limite com a oferta de 15,8% de reajuste, parcelado em três anos, para o conjunto das categorias do Executivo Federal. Mesmo sem manifestar qualquer reação positiva, representantes de associações da Polícia Federal afirmaram que vão analisar as propostas para uma nova rodada de negociações, ainda sem data marcada.

PRF em greve


Os policiais rodoviários federais de todo o Brasil também entraram em greve nesta segunda-feira. A paralisação nacional foi aceita durante assembleia realizada no último sábado e a adesão é feita de forma gradual conforme as necessidades de cada sindicato estadual. A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) calcula que 21 das 24 instituições atendam ao comando de greve até a próxima sexta-feira, 24, um dia depois da reunião com o Ministério do Planejamento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade