Publicidade

Estado de Minas

Operação padrão da PF no Aeroporto de Confins segue até segunda-feira

Nesta quinta-feira, longas filas se formaram no terminal durante as ações da corporação


postado em 16/08/2012 16:36 / atualizado em 16/08/2012 19:44

Passageiros chegaram a ficar mais de 30 minutos na fila(foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press)
Passageiros chegaram a ficar mais de 30 minutos na fila (foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press)
 

Os passageiros do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande BH, devem se programar para não perder os voos nos próximos dias. Agentes da Polícia Federal, em greve para pedir reajuste salarial, decidiram manter a Operação Padrão no terminal até a próxima segunda-feira. Nesta quinta-feira, o aumento na fiscalização de bagagens e dos viajantes provocou longas filas, mas não foi registrado nenhum atraso nas viagens.

As ações de hoje testaram a paciência de pessoas que saíram da capital mineira. O primeiro voo a ser inspecionado foi da empresa Tap Linhas Aéreas com destino a Portugal. Cerca de 25 agentes fizeram uma revista minuciosa de documentos e bagagens. Uma grande fila se formou antes mesmo da passagem das pessoas pelo raio x. Os passageiros ficaram em torno de 30 minutos para fazer o embarque.

Às 15h30, os agentes fizeram a operação padrão nos voos domésticos. Houve uma grande concentração de passageiros ainda no saguão do aeroporto. Para tentar não fazer nenhuma pessoa perder o voo, funcionários das empresas aéreas chamavam por passageiros em que as viagens estavam mais próximas. Essas pessoas passavam na frente dos outros.

O protesto aconteceu em outras cidades do país e foi batizada de "Operação Blackout". Em Minas, o conselho de greve decidiu manter até a próxima segunda-feira. “Vamos aumentar o foco nos voos de Confins. As ações começam nesta sexta-feira e vai pelo menos até segunda, quando haverá mais uma mobilização nacional”, explica o presidente do Sindicato dos Policiais Federais em Minas (SINPEF-MG), Renato Deslandes. Neste período, cerca de 20 agentes e cães farejadores vão se revesar no terminal.

Agentes, escrivães e papiloscopistas reivindicam melhores condições de trabalho e a reestruturação no plano de carreira. Os profissionais estão inseridos na carreira de nível superior, porém, atualmente recebem salário inicial de cerca de R$ 7,7 mil, piso para profissionais que possuem apenas Ensino Médio. Os policiais exigem o piso de R$ 12 mil, valor pago para quem possui terceiro grau completo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade