UAI
Publicidade

Estado de Minas MINEIRIDADE

Eduardo Amarante homenageia um estado por coleção com nova marca

Depois de Minas Gerais, onde nasceu, estilista faz um passeio pelo Brasil com sua moda


14/11/2021 04:00 - atualizado 14/11/2021 21:09

Vestido
A cada coleção, um estado é homenageado (foto: Oitavo Estúdio/Divulgação)


A cada coleção, um estado é homenageado. Eduardo Amarante está dando uma volta pelo Brasil através da sua nova marca, que, não por acaso, tem o nome Amarante do Brasil. A etiqueta quer vestir as mulheres de todo o país com roupas que resgatam histórias e tradições. “Quero até o próximo ano passar por todos os estados brasileiros”, revela o estilista.
 
Eduardo lançou a marca em julho com a coleção Ela, onde expressou toda a sua mineiridade. Depois começou a viajar por outros estados que se relacionam com a sua história. “A Amarante é uma marca brasileira e, neste momento de pandemia, em que tivemos que olhar para dentro, comecei a enxergar o tanto de referências que poderia explorar”, diz.
 
coleção Ela
Eduardo lançou a marca em julho com a coleção Ela, onde expressou toda a sua mineiridade (foto: Oitavo Estúdio/Divulgação)
 
 
A relação com a Bahia é antiga. Eduardo conta que, quando criança, passava todas as férias em Porto Seguro e, depois que ficou adulto, sempre gostou de ir para Salvador no carnaval. Então, ele brinca que seu sangue também é baiano. “A Bahia sempre foi um estado que me acolheu muito bem e é um lugar que me transmite felicidade. Talvez os momentos mais felizes da minha vida tenha passado lá.”
 
Estampas
Na coleção, vemos muitas flores, tantos nas estampas quanto nos bordados (foto: Oitavo Estúdio/Divulgação)
 
 
Hoje, ele enxerga que o estilo das suas roupas tem muito da Bahia. A exuberância das baianas, a roupa enfeitada, a saia rodada, as rendas, tudo isso serviu de inspiração para o estilista construir sua identidade na moda.
 
A leveza dos vestidos
O colorido da coleção, que vai do verde ao azul, passando pelo amarelo e rosa (foto: Oitavo Estúdio/Divulgação)
 
 
Na coleção, vemos muitas flores, tantos nas estampas quanto nos bordados. Antúrio e girassol são as espécies que mostram toda a sua exuberância em formas e cores. O estilista também construiu flores estilizadas com tecidos cortados a laser e pespontados com linha branca. “Falo um pouco de mar e um pouco de religião. O baiano é um povo muito religioso, que sempre oferece flores para o mar.”
 
A leveza dos vestidos remete ao clima tranquilo das praias do Nordeste. Ao mesmo tempo, decotes e recortes que deixam parte do corpo à mostra apontam para a sensualidade da mulher baiana. Rendas e bordados revelam a preciosidade do trabalho manual do estado. “Fui em busca de miudezas para que a coleção tivesse a potência que tem”, comenta.
 
O colorido da coleção, que vai do verde ao azul, passando pelo amarelo e rosa, nos faz enxergar toda a vivacidade que Eduardo atribui ao estado. “Trabalhamos com cores vibrantes para trazer alegria e alto-astral. Na verdade, não faço roupa sem sal. É para vestir e ser percebida. Ser Amarante é isso, é apoteótico.” O branco, muito presente, acalma e entrega elegância.
 
Depois veio a coleção Paraíba. Até então, Eduardo não conhecia o estado. Pisou pela primeira vez em Campina Grande  para participar de uma live com Elba Ramalho e Juliette em comemoração à festa de são-joão. “Vi ali a oportunidade de fazer uma homenagem a outro estado, conhecendo uma cultura muito alegre, forte, grandiosa e inspiradora. Aprendi muito com a cultura do feito a mão, que é muito nobre.”

HANDMADE O estilista trabalhou apenas com tecidos nacionais e levou para as roupas o handmade local, como a renda renascença, a fibra de coco e os bordados. “Temos tudo nas mãos, mas não valorizamos. Vejo muita potência nessas técnicas e quero resgatar o que estiver ao meu alcance. É um resgate pequeno, mas sei que atinge muitas pessoas”, pondera.
 
As flores também colorem as roupas da Paraíba. Em parte da coleção, elas são grandes e exuberantes, lembrando as chitas, que são a cara do Nordeste e da festa junina. Destaque para as peças em jeans com flores coloridas bordadas. Em outra parte, Eduardo criou estampas florais bem miúdas, em referência à estampa inglesa liberty. Laranja, vermelho e roxo são as cores evidenciadas.
 
Mais recentemente, Eduardo se voltou para Santa Catarina, estado que o acolheu neste ano. Desde que lançou a Amarante do Brasil, ele se divide entre Belo Horizonte e Criciúma, cidade onde fica a sede do Grupo La Moda, sócio da marca. A coleção exalta as praias catarinenses, mostrando o laranja do sol, o azul da água e o branco da brisa do mar. Detalhes da modelagem remetem ao movimento das ondas do mar, como babados nas saias e nas mangas.
 
Em paralelo, o estilista atende com hora marcada em seu ateliê em São Paulo. Eduardo fala que o trabalho é exclusivo e inclusivo, pois foca em roupas sob medida para homens, mulheres, sem gênero ou tamanhos maiores, o que fizer a pessoa feliz. “Sempre tive uma demanda muito grande por tamanhos maiores e não conseguia fazer isso em escala. Agora dei start a um novo capítulo da minha história.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade