Publicidade

Estado de Minas Arte final

Campanhas e ações ajudam a faturar mais na Black Friday


08/11/2020 04:00

(foto: pixabay)
(foto: pixabay)

 
A Black Friday brasileira está chegando. O maior evento de vendas ocorre sempre na última sexta-feira de novembro (dia 27) e já se consolidou entre as datas mais aguardadas pelos consumidores e, consequentemente, pelo comércio varejista on-line. O faturamento dos e-commerces em novembro de 2019 alcançou os R$ 11,95 bilhões, crescendo 32,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Agora, a expectativa é de números ainda maiores. Afinal, durante a pandemia, 73% das pessoas disseram ter descoberto que comprar pela internet pode ser muito mais prático. E mais econômico!
 
Para ajudar o mercado a faturar mais no período, vários institutos de pesquisas, de análises de dados, instituições ligadas ao comércio e indústria, às agências de propagandas e publicidades estão promovendo cursos, divulgando informações e compartilhando experiências fundamentais. As dicas vão do planejamento de campanhas a ações variadas. Apenas uma taxa de cadastro em campanhas bem contextualizadas, por exemplo, pode representar acréscimo de 5,2% – número quase três vezes maior que a média geral de sign ups – nas vendas. 

PÚBLICO NOVO A Black Friday deste ano terá uma característica diferente, com público de novo perfil. Ou seja, pessoas que passaram os últimos oito meses em acelerada mudança de hábitos impulsionada pelas novas necessidades que surgiram durante o período de isolamento social. A terceira edição do Data Stories, levantamento mensal da Kantar IBOPE Media, mostra, por exemplo, que 72% dos usuários de internet passaram a comprar alguma categoria de produto ou serviço on-line durante a pandemia e traça uma tendência de adesão de novos consumidores para a Black Friday.

ELETRÔNICOS Entre o público que planeja fazer compras na Black Friday pela primeira vez, destacam-se os moradores de Fortaleza, no topo das intenções de compra, com 24%, seguidos por Recife (19%), Florianópolis (18%), Campinas (17%), Curitiba (16%), Distrito Federal (15%), Goiânia (15%), São Paulo (14%), Salvador (14%), Rio de Janeiro (13%), Vitória (13%), Belo Horizonte (12%) e Porto Alegre (10%). Os eletrônicos (54%) são os itens de preferência na cabeça do comprador de primeira viagem, seguidos por eletrodomésticos (43%), roupas (38%), calçados (32%) e linha branca (20%).

MÍDIAS O levantamento mostra, ainda, que 88% dos entrevistados dizem se lembrar de ter visto publicidade sobre a Black Friday em algum meio nos anos anteriores. Em primeiro lugar está a TV, com 69% das lembranças de publicidade sobre a Black Friday, seguida de sites de internet, com 42% e, por fim, as redes sociais, com 35%. Esse número não é por acaso, pois, normalmente, a partir do início de novembro, será possível ver uma intensificação de campanhas para a data. Em 2019, por exemplo, as marcas relacionadas à categoria Lojas de Departamento aumentaram em 20% os investimentos em publicidade em novembro, comparativamente a outubro do mesmo ano. Quando se olha, exclusivamente, para as mídias digitais, a intensificação de publicidade foi ainda maior, com aumento de 50% das impressões no mês da Black Friday.

GUIA 2020 Para ajudar nos bons resultados – com o apoio da All iN – o Social Miner, empresa que une dados de consumo, tecnologia e humanização, elaborou o guia Comunicação e estratégias para a Black Friday 2020. Especialmente por se tratar de um período de promoções, o volume de potenciais compradores em busca de produtos nos sites aumenta e, acompanhando essa crescente, vem a necessidade de os e-commerces se adaptarem para atender a essa demanda o quanto antes.
Muita gente começa a procura por ofertas dias ou até semanas antes do evento. Para se ter uma ideia, em 2019, faltando um mês para a Black Friday, 52,7% do público afirmou que já estava atrás de descontos. Nesse contexto, o estudo traz dados históricos e dicas para as empresas que estão criando ou otimizando suas ações para a data. O guia aponta, por exemplo, que o ideal é apresentar os benefícios – sejam eles cupons, ofertas, novidades ou informações – já no título ou começo das campanhas. Isso porque a atenção do consumidor muda de foco muito rápido, fazendo com que as pessoas, muitas vezes, nem cheguem ao final das comunicações.

EQUILÍBRIO Além disso, a objetividade é muito importante, sendo que as marcas devem avaliar se o conteúdo da mensagem tem um tom empático e humanizado e, ao mesmo tempo, se não há nada excessivo ou redundante. Nesse sentido, é sempre importante pensar também no contexto do consumidor, personalizando as campanhas de acordo com o comportamento do próprio cliente.
Quando se trata de campanhas para o período pré-data comercial, é essencial que o nome da empresa seja facilmente lembrado pelos consumidores. Campanhas de awareness e reconhecimento de marca são excelentes para atração de novos públicos e potenciais clientes.

CAPTAÇÃO DOS LEADS Já o incentivo ao cadastro garante que a marca conecte-se com uma base de consumidores engajados, que podem ser trabalhados não só durante a sazonalidade, mas nos meses a seguir. Para ter melhores resultados na captação de novos leads, a marca pode despertar a curiosidade do consumidor, informar os benefícios que ele terá ao se cadastrar e como irá ajudá-lo.
De acordo com o estudo, quando o usuário se depara com campanhas contextualizadas, que comunicam o benefício de forma clara, com um texto objetivo e um CTA (call to action) destacado, a taxa de cadastro pode chegar a 5,2%, sendo 2,7 vezes maior que a média geral de sign ups.

SEGUNDA EMPREENDEDORA Amanhã, em outra oportunidade de preparação, especialistas do Sebrae Minas darão outras dicas sobre como atrair clientes e recuperar as perdas nas vendas. A partir das 19h, tem a palestra “Black Friday: prepare-se para a época do ano que o varejo mais vende!”. Informações e inscrições gratuitas no site da Sympla. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade