Publicidade

Estado de Minas

Unesco presta homenagem a Niemeyer


postado em 06/12/2012 11:50

(foto: AFP PHOTO/Vanderlei Almeida )
(foto: AFP PHOTO/Vanderlei Almeida )
A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) homenageou hoje (6) o arquiteto Oscar Niemeyer, de 104 anos, que morreu ontem (5) no Rio de Janeiro. A diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, disse que Niemeyer merece o título de “artista universal” por seu trabalho e legado. Ela lembrou que Brasília, cuja arquitetura tem assinatura de Niemeyer, está na Lista Mundial da Unesco desde 1987. "Oscar Niemeyer viveu um século e merece o título de artista universal: pai fundador da arquitetura moderna, deu edifícios de referência às cidades que ele amava, centenas de monumentos reconhecidos por todos nós em Paris, São Paulo, Rio de Janeiro, e, claro, em Brasília, uma obra-prima do planejamento urbano e da arquitetura moderna”, disse Bokova. A diretora-geral da Unesco brincou com a irreverência de Niemeyer, pois ele resistia a homenagens e defendia a paixão como combustível para o trabalho. "Oscar Niemeyer costumava dizer que não levava a sério as homenagens e permaneceria ativo até o fim de sua vida.” Em seguida, Bokova acrescentou que Niemeyer aplicava na prática a principal função da arquitetura. “Apaixonado por seu trabalho, ele estava convencido de que a arquitetura tem que fazer mais do que belos edifícios: tem que contribuir para melhorar a vida na cidade como um todo e incorporar os valores de inclusão, solidariedade e cooperação”. A diretora ressaltou que a Organização das Nações Unidas (ONU) presta homenagem à memória de “um grande humanista intimamente envolvido com as preocupações das cidades e defensor fervoroso da humanidade”. “Expresso minhas sinceras condolências à sua família, ao povo do Brasil e ao governo brasileiro por esta grande perda ", disse Bokova. Oscar Niemeyer morreu na noite de ontem (5), no Hospital Samaritano, em Botafogo, onde estava internado desde o dia 2 de novembro, vítima de complicações renais e desidratação. Por causa de uma infecção respiratória, o arquiteto que estava na unidade intermediária do hospital, ficou sedado e respirando com auxílio de aparelhos. Niemeyer morreu às 21h55. Ele completaria 105 anos no próximo dias 15.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade