Publicidade

Estado de Minas

Equipe da UFMG busca verba para participar de competição de máquinas nos EUA

Ações para garantir o dinheiro passam por financiamento coletivo, cursos, venda de brindes e procura por patrocinadores. Grupo precisa de R$ 50 mil


postado em 05/04/2017 06:00 / atualizado em 05/04/2017 07:49

Grupo recorre a financiamento e a outras ferramentas para tentar mandar quatro pessoas a competição no MIT, em Boston(foto: Eduardo Alves Caixeta/Divulgação)
Grupo recorre a financiamento e a outras ferramentas para tentar mandar quatro pessoas a competição no MIT, em Boston (foto: Eduardo Alves Caixeta/Divulgação)
Ci­en­tis­tas e es­tu­dan­tes da Uni­ver­si­da­de Fe­de­ral de Mi­nas Ge­rais (UFMG) lan­ça­ram uma cam­pa­nha de fi­nan­ci­a­men­to co­le­ti­vo pa­ra ten­tar par­ti­ci­par, em no­vem­bro, da Com­pe­ti­ção In­ter­na­ci­o­nal de En­ge­nha­ria de Má­qui­nas Bi­o­ló­gi­cas (iGEM), pro­mo­vi­da pe­lo Mas­sa­chu­set­ts Ins­ti­tu­te of Te­ch­no­lo­gy (MIT) em Bos­ton, nos Es­ta­dos Unidos.

A equi­pe, já pre­mi­a­da du­as ve­zes na com­pe­ti­ção, pre­ci­sa de R$ 50 mil pa­ra man­dar qua­tro in­te­gran­tes ao even­to, mas le­van­tou R$ 6,5 mil até o momento. Além das do­a­çõ­es de pes­so­as fí­si­cas, o gru­po pro­cu­ra pa­tro­ci­na­do­res, or­ga­ni­za cur­sos de ve­rão e até ven­de bi­chos de pe­lú­cia e canecas. A pres­são tem ra­zão de ser: as ins­cri­çõ­es pre­ci­sam ser fei­tas até 1º de maio.

A com­pe­ti­ção no MIT tem co­mo pro­pos­ta in­cen­ti­var es­tu­dan­tes a tra­ba­lhar jun­tos pa­ra re­sol­ver de­sa­fi­os do mun­do re­al a par­tir da ela­bo­ra­ção de sis­te­mas bi­o­ló­gi­cos ge­ne­ti­ca­men­te modificados. A pro­fes­so­ra do de­par­ta­men­to de Bi­o­quí­mi­ca e Imu­no­lo­gia do Ins­ti­tu­to de Ci­ên­ci­as Bi­o­ló­gi­cas da UFMG Ra­fa­e­la Sal­ga­do Fer­rei­ra, uma das co­or­de­na­do­ras da equi­pe da uni­ver­si­da­de mi­nei­ra, ex­pli­ca que a bi­o­lo­gia sin­té­ti­ca é um ra­mo da ci­ên­cia que ma­ni­pu­la ge­ne­ti­ca­men­te di­ver­sos or­ga­nis­mos pa­ra que eles pos­sam de­sem­pe­nhar inú­me­ras fun­çõ­es, co­mo se fos­sem má­qui­nas, pa­ra be­ne­fi­ci­ar hu­ma­nos, ani­mais e o meio ambiente. Ela con­ta ain­da que, no fim do ano pas­sa­do, a equi­pe co­me­çou a tra­ba­lhar em um no­vo pro­je­to que pro­me­te con­tri­buir pa­ra tra­ta­men­tos te­ra­pêu­ti­cos em se­res humanos.

“A mo­di­fi­ca­ção do DNA do pro­to­zo­á­rio Leish­ma­nia ta­ren­to­lae, es­pé­cie que não cau­sa do­en­ça em hu­ma­nos, per­mi­ti­rá pro­du­zir mo­lé­cu­las te­ra­pêu­ti­cas com mais fa­ci­li­da­de e qualidade. Mui­tas das mo­lé­cu­las ven­di­das pe­la in­dús­tria far­ma­cêu­ti­ca são pro­du­zi­das em bac­té­ri­as de laboratório. Po­rém, elas não fi­cam tão pa­re­ci­das com as hu­ma­nas quan­to as fei­tas ob­ti­das no pro­to­zo­á­rio, já que bac­té­ri­as são mais dis­tan­tes ge­ne­ti­ca­men­te de nós. Is­so po­de­ria con­tri­buir pa­ra uma mai­or ta­xa de su­ces­so em tra­ta­men­tos mé­di­cos”, afirma.

Opor­tu­ni­da­de Ra­fa­e­la vê a com­pe­ti­ção co­mo uma opor­tu­ni­da­de in­crí­vel pa­ra os alu­nos, pois eles se in­se­rem em um am­bi­en­te de al­to ní­vel ci­en­tí­fi­co, pra­ti­cam in­glês, es­ta­be­le­cem con­ta­tos com ou­tras re­no­ma­das uni­ver­si­da­des, além de au­men­tar a vi­si­bi­li­da­de da UFMG e in­se­ri-la in­ter­na­ci­o­nal­men­te no cam­po da bi­o­lo­gia sintética. Em 2013, a uni­ver­si­da­de apre­sen­tou na com­pe­ti­ção um dis­po­si­ti­vo que de­tec­ta a pre­sen­ça de do­en­ças car­dí­a­cas a par­tir de uma amos­tra de sangue. O pro­je­to ren­deu à equi­pe uma me­da­lha de prata. Dois anos de­pois, na úl­ti­ma par­ti­ci­pa­ção do gru­po de Mi­nas Ge­rais, a pro­pos­ta exi­bi­da, que tam­bém ti­nha co­mo ba­se a leish­ma­nia, deu à uni­ver­si­da­de o prê­mio de me­lhor edu­ca­ção e en­ga­ja­men­to público. Foi a pri­mei­ra vez que um ti­me de país em de­sen­vol­vi­men­to ga­nhou o título.

COMO AJUDAR:

Contribuições podem ser feitas pelo site www.vakinha.com/.br/vaquinha/leva-a-ciencia-brasileira-para-o-mit

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade