Publicidade

Estado de Minas

Goleiro Bruno tem mais um pedido negado pelo TJMG

Atleta pedia o anulamento do julgamento que o condenou pela morte e sumiço de Eliza Samudio. A defesa questionava a validade do atestado de óbito concedido pela Justiça. Porém, os desembargadores negaram os argumentos


postado em 06/06/2018 15:00 / atualizado em 06/06/2018 15:20

Goleiro Bruno está preso em uma unidade no Sul de Minas(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Goleiro Bruno está preso em uma unidade no Sul de Minas (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza teve mais uma derrota na Justiça. A 4ª Câmara do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou os embargos infringentes e de nulidade interpostos pelas defesas do atleta e da ex-namorada dele, Fernanda Gomes de Castro, condenados pela morte e sumiço de Eliza Samúdio. Eles pediam a anulação do julgamento questionando a validade da certidão de óbito da vítima. Os desembargadores negaram e mantiveram as penas.

Em setembro do ano passado, a certidão de óbito de Eliza Samudio, foi reconhecida pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O documento que comprovava a morte de Eliza foi expedida em 2013, pela juíza Marixa Fabiane Lopes, da Vara do Tribunal do Júri de Contagem, após o julgamento que condenou Luiz Henrique Romão, o Macarrão, pelo crime de assassinato da vítima. Na época, o tribunal entendeu que a expedição da certidão serviria para reparar danos pessoas à família.

No julgamento que reconheceu a certidão, o desembargador Corrêa Camargo entendeu que a Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Contagem não era competente para determinar a expedição da certidão de óbito da vítima, atribuição privativa do juiz de uma das varas de registros públicos. Por isso, votou contrário aos outros desembargadores.

As defesas de Bruno e de Fernanda, então, entraram com embargos infringentes e de nulidade questionando a decisão. Nesta quarta-feira, a 4ª Câmara Criminal do TJMG negou, por 4 votos a 1, os pedidos. Com isso, ficam mantidas as condenações dos réus.

Desembargadores julgaram os recursos nesta quarta-feira(foto: Robert Leal/TJMG)
Desembargadores julgaram os recursos nesta quarta-feira (foto: Robert Leal/TJMG)


Condenações


Bruno Fernandes havia sido condenado a 22 anos e três meses por homicídio triplamente qualificado de Eliza Samúdio, ocultação do cadáver e sequestro do filho, Bruninho. A ex-namorada, Fernanda Gomes de Castro, também a cinco anos, em regime aberto, pelo sequestro do menor e de Eliza.

Porém, em setembro do ano passado, a pena de Bruno Fernandes foi reduzida para 20 anos e nove meses.O desembargador Doorgal Andrada declarou extinto o crime de ocultação de cadáver para reduzir a pena. Para Fernanda Gomes de Castro, a pena foi fixada em três anos de reclusão em regime aberto, substituída por duas restritivas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade