Publicidade

Estado de Minas

Goleiro Bruno faz faxina no Corpo de Bombeiros de Varginha

Advogado informou que "ele está trabalhando temporariamente como auxiliar de serviços gerais, a pedido do tenente do batalhão"


postado em 24/04/2018 12:12 / atualizado em 24/04/2018 12:46

Defesa do jogador acredita que, após autorização para mudança de regime, Bruno volte ao Boa Esporte (foto: Alexandre Guzanshe/ EM/ D.A Press)
Defesa do jogador acredita que, após autorização para mudança de regime, Bruno volte ao Boa Esporte (foto: Alexandre Guzanshe/ EM/ D.A Press)
O goleiro Bruno Fernandes de Souza, de 33 anos, está trabalhando como faxineiro no 9º Batalhão do Corpo de Bombeiros, em Varginha, no Sul de Minas Gerais. A medida é paliativa, tendo em vista que o jogador aguarda decisão judicial para cumprir o restante da pena em regime semiaberto. 
 
Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato e ocultação do cadáver da ex-namorada, a modelo Eliza Samudio, e por sequestro e cárcere privado de Bruninho, filho do casal, em junho de 2010. Atualmente, o goleiro cumpre pena em regime fechado no Presídio de Varginha. As aulas de futebol que eram dadas por ele no Núcleo de Capacitação para Paz (Nucap), também em Varginha, estão suspensas há um mês por falta de repasse de verba.

“Ele está trabalhando temporariamente como auxiliar de serviços gerais, a pedido do tenente do batalhão, pois existe uma parceria entre o Corpo de Bombeiros, o Nucap e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Quando o tenente solicitou ajuda, ele topou. O juiz autorizou e ele está lá há duas semanas”, detalhou o advogado de Bruno, Fábio Gama. 

A expectativa da defesa do goleiro é que ele seja transferido em breve para uma Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), no município do Sul do estado. “Estamos aguardando só a decisão do juiz. O presidente da Apac já solicitou a vaga e pediu a reinserção dele e de outros detentos que têm perfil para cumprir pena lá”, salientou Gama. 

Além da espera para a mudança de unidade, o goleiro Bruno também aguarda uma mudança para o regime semiaberto que, em Varginha, é cumprido domiciliarmente – quando o preso trabalha durante o dia e retorna para casa às 18h. 

Segundo Fábio Gama, o pedido de mudança de regime de Bruno tramita na Vara de Execuções Criminais da cidade desde o ano passado, Entretanto, a defesa não estipulou um prazo para que a situação fosse definida. 

Caso consiga a progressão de regime, Bruno Fernandes poderá voltar a jogar com a camisa do Boa Esporte, conforme informado pela defesa.
 
*Estagiário sob supervisão da subeditora Regina Werneck 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade