Publicidade

Estado de Minas Futebol inglês

Arsenal: o que aconteceu com um dos principais campeões da Liga Inglesa?

Arsenal é um dos maiores vencedores da história da liga inglesa, mas perdeu para Brentford, deixando um grande questionamento sobre sua queda


27/08/2021 14:52

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

Quase 80 anos depois de jogar a primeira divisão, o Brentford voltou para a elite do futebol inglês e logo teria que encarar o Arsenal, um dos maiores vencedores da história da liga e da mesma cidade, a capital Londres. Ou seja, uma derrota não seria uma catástrofe. No fim, o Brentford não só não foi derrotado como ainda venceu por 2 a 0.
 
O resultado levanta de novo a pergunta sobre o que aconteceu com o Arsenal. Dono de 13 títulos da Primeira Liga Inglesa, os gunners venceram a liga de 2003/04 de forma invicta e chegou à final da Champions League em 2005/06 com Thierry no ataque e Arsene Wenger no comando da equipe. Desde lá, decepção atrás de decepção.
 
O que aconteceu na última década e meia?

Novo estádio, novo dono


A conquista dos últimos títulos ingleses foi no acanhado estádio de Highbury, casa do Arsenal até a mudança para o suntuoso Emirates Stadium. As alegrias não foram de um lugar para o outro, apesar de serem próximas.
 
A construção do novo estádio foi um esforço financeiro enorme para o clube, que não recebeu tanto apoio público. A venda de jogadores e controle de custos foi uma das formas encontradas para conseguir os recursos, mas o trabalho de Wenger para garimpar talentos jovens e baratos foi um destaque por anos, conseguindo manter o nível em campo.
 
Mas aos poucos a Premier League estava mudando e o Manchester United, grande rival do Arsenal no fim dos anos 90 e começo dos anos 2000, também sofreu com essas alterações. O grande divisor de águas foi o Chelsea ser adquirido por Roman Abramovich. O empresário russo injetou dinheiro e imediatamente os resultados vieram: o clube de Londres, que tinha apenas dois títulos ingleses, conquistou dois seguidos em 2004/05 e 2005/06.
 
O investimento para montar equipes começou a crescer ainda mais com a posterior venda dos clubes para investidores estrangeiros. O Manchester City logo seria uma potência nesse sentido e também teria resultados em campo, assim como o PSG na França.  
 
O Arsenal também encontrou um magnata para chamar de seu. O americano Stan Kroenke foi adquirindo ações do clube até se tornar majoritário em 2011, mas o resultado foi completamente diferente de times como City e Chelsea. O investimento em atletas nunca foi próximo do que esses dois clubes até hoje gastam e as oportunidades que Wenger conseguia encontrar se tornaram cada vez mais escassas. 
 
Kroenke é odiado pela torcida, que vê a falta de interesse do proprietário nos resultados esportivos, manifestando-se na falta de envolvimento do próprio no dia a dia do clube. Como os clubes da Premier League recebem somas imensas dos contratos televisivos, o lucro é sem dúvidas a maior vitória para Kroenke, enquanto a torcida não está preocupada com os balanços e sim os placares.
 
A saída de Wenger foi até tardia, considerando os resultados ruins na Liga e a queda de prestígio no cenário europeu. Unai Emery não conseguiu fazer um bom trabalho e agora Mikel Arteta também tem grandes desafios e já é questionado, apesar do título da FA Cup em 2019/20.
 

Tem como o jogo virar?

 
A tradição é importante para um clube, mas não é garantia de resultados. Sem investimento e um trabalho focado para voltar a ser um gigante na Inglaterra e uma força na Europa, o Arsenal que tem um novo uniforme na temporada, será um time instável que ficará um patamar abaixo de equipes como os citados Manchester City e Chelsea, além do Manchester United e Liverpool. Nos últimos anos até o Leicester está fazendo melhor trabalho.
 
Mas para isso será preciso abrir a carteira, algo que Kroenke não parece disposto. Com a revolta da torcida e queda na arrecadação é possível que o americano ou acorde ou venda o clube, algo que seria um sonho para muitos torcedores. Por enquanto a relação continua horrível e os resultados dificilmente irão melhorar se a troca de treinadores continuar e os jogadores top de linha não quiserem jogar no Emirates Stadium.
 
O atacante Aubameyang, um dos grandes reforços dos últimos anos, tem rumores de saída basicamente desde que chegou ao clube e até o Barcelona, que está falido e precisou abrir mão de Messi para desafogar sua folha salarial, tem interesse no jogador e pode conquistá-lo.
 
Algo precisa mudar no Arsenal.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade