Publicidade

Estado de Minas GESTÃO

Empresas investem em soluções para o clima organizacional no home office

Gestão de recursos humanos precisa superar desafios durante a pandemia. Investir em saúde mental e bem-estar dos colaboradores são soluções bem-vindas


23/07/2021 13:15 - atualizado 23/07/2021 13:24

Muitos profissionais querem a opção de trabalho remoto como uma possibilidade(foto: Tumisu/Pixabay )
Muitos profissionais querem a opção de trabalho remoto como uma possibilidade (foto: Tumisu/Pixabay )

Com a pandemia, diversas empresas precisaram adotar o sistema home office ou híbrido e, a partir disso, novas soluções e metodologias foram desenvolvidas em prol dos colaboradores. É fato que um dos aspectos diretamente impactados pela pandemia foi o clima organizacional das companhias.

Com esse novo cenário, o distanciamento social foi adotado e a percepção sobre os sentimentos dos colaboradores a respeito da empresa tornou-se algo ainda mais desafiador.

A partir disso, novas dinâmicas e métodos foram criados para a gestão de pessoas e os setores de recursos humanos (RH) passaram a atuar de forma ainda mais estratégica para cuidar do bem-estar dos colaboradores e manter um ambiente de trabalho saudável, mesmo que a distância.

Exemplo disso é o Banco Mercantil do Brasil (MB), que vem criando projetos para o desenvolvimento de pessoas e do ambiente de trabalho focados em bem-estar, saúde, reconhecimento e respeito, para tornar o ambiente ainda mais agradável para o trabalhador.

Atualmente, o banco, considerado serviço essencial, tem a maior parte do contingente de pessoas trabalhando presencialmente nas agências.

"Nosso primeiro desafio foi esse; adotamos estratégias de cuidados com ampla oferta de equipamentos individuais de proteção e disponibilização de reembolso de transporte alternativo para os colaboradores", destaca a gerente de talentos e cultura do Mercantil do Brasil, Camila Bertola.

A instituição também ampliou o programa "Meu Bem-Estar", no qual os colaboradores têm acesso a cerca de 100 modalidades de atividades on-line como ioga e meditação.

"Recentemente, fizemos uma ampliação desse programa, que oferece atendimento psicológico, suporte jurídico e de assistência social. Estamos sempre adotando ações que visam a integralidade da saúde do colaborador, esteja ele em home office ou presencial", comenta a gerente.

Dentro da jornada de desenvolvimento do banco, existe uma muito focada nas habilidades de liderança. "Entendemos que o líder é peça fundamental para manutenção do bom clima organizacional, capacitar as habilidades comportamentais de gestão de pessoas da liderança é uma excelente estratégia para preservação do bom clima. Líderes bem preparados têm condição de lidar e orientar diante dos desafios que as equipes têm enfrentado na situação na qual estamos vivendo", completa Camila.

Além disso, a instituição migrou várias ações de desenvolvimento do presencial para o digital e adequou estratégias e metodologias de ensino e aprendizagem para que as pessoas não se sentissem distantes da empresa, sozinhas e desengajadas. É o caso da plataforma de ensino, a "Academia Mercantil".

Desde o início da pandemia, o banco vem exercendo uma curadoria de conteúdos para desenvolvimento integral. Por exemplo, o colaborador tem acesso a temas que vão apoiá-lo no desenvolvimento para o trabalho que realiza no banco, mas também terá acesso a vários outros que podem contribuir para o desenvolvimento como pessoa.

De acordo com Camila Bertola, “com a 'Academia Mercantil' e o programa 'Meu Bem-Estar', o banco oferece tanto desenvolvimento técnico e profissional, quanto suporte que o colaborador necessita para estar bem, com saúde física e metal”.

Como resultado desse esforço, o MB está novamente entre as três melhores empresas para trabalhar em Minas Gerais, de acordo com o ranking GPTW Regional 2021. É o quarto ano consecutivo que o banco mineiro sobe ao pódio. A premiação é organizada pelo Instituto Great Place To Work (GPTW), que pesquisa o ambiente de trabalho nas organizações.

Juntos pela saúde mental


Com o objetivo de deixar o ambiente de trabalho mais leve e saudável, o Verdemar abraçou a campanha “Juntos pela Saúde Mental”, criada pela Associação Brasileira de Recursos Humanos - Seção Minas Gerais (ABRH-MG). A rede de supermercados adotou uma série de ações para cuidar da saúde mental dos colaboradores.

A empresa conta com profissionais da psicologia em seu quadro efetivo, que atende, acompanha e direciona todos os funcionários em suas demandas psicológicas, sociais e profissionais. Por meio do projeto “Inclusão como valor”, há alguns anos, a rede de supermercados abriu as portas para pessoas com transtornos mentais, como esquizofrenia, que faziam acompanhamento na rede municipal de saúde da capital.

“Esse projeto foi um ganho para os colaboradores que foram incluídos, para o Verdemar e para os demais funcionários. Vários colaboradores se sentiram mais confortáveis para nos contar que sofriam com depressão ou ansiedade porque sabiam que seriam acolhidos”, destaca Leandro Souza de Pinho, superintendente de RH da rede de supermercados.

Durante a pandemia, a rede ampliou esse cuidado com o projeto “Eu te protejo, você me protege”, com ações visando o bem-estar e segurança dos funcionários e clientes.

“A humanização é cada vez mais importante. Saúde do trabalhador não é custo, é investimento, porque recebemos em troca redução do absenteísmo e ganho de produtividade”, afirma. Os esforços realizados pela rede de supermercados foram reconhecidos pela Associação Brasileira de Recursos Humanos, que condecorou o Verdemar com o “Prêmio Ser Humano 2020”.


Profissionais querem a opção de trabalho remoto como possibilidade


Segundo pesquisa “Hopes and Fears”, realizada pela consultoria PwC, o trabalho remoto deve continuar mesmo quando for possível voltar aos locais de trabalho. Entre os que podem trabalhar remotamente, 72% dos entrevistados dizem que preferem uma mistura de trabalho presencial e remoto, com apenas 9% afirmando que gostariam de voltar ao seu ambiente de trabalho tradicional em tempo integral.

A constatação ocorre de uma forma mais ampla principalmente para profissionais, funcionários de escritório, proprietários de empresas e autônomos que sejam capazes de realizar seus trabalhos remotamente, usando a tecnologia. Entretanto, o home office não precisa se limitar a empregos que demandam alta qualificação; 43% dos trabalhadores manuais e 45% dos trabalhadores semiqualificados dizem que há muitos processos de seu trabalho que podem ser realizados de forma remota.

A atitude das pessoas em relação ao trabalho remoto é diferente de acordo com a região, fornecendo mais evidências de como a pandemia aumentou a exclusão digital global. Profissionais de áreas metropolitanas (66%) têm mais oportunidades de trabalhar remotamente em comparação com aqueles que vivem em áreas rurais (44%).

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade