Publicidade

Estado de Minas CARREIRA

Multinacional coreana oferece curso gratuito para professores de todo o país

Objetivo é tornar o dia a dia da escola mais dinâmico, com professores e estudantes mais engajados, e desenvolver a aprendizagem


postado em 29/05/2019 12:50 / atualizado em 29/05/2019 12:50

(foto: 3dman_eu /Pixabay)
(foto: 3dman_eu /Pixabay)


A Samsung, com o objetivo de tornar o dia a dia da escola mais dinâmico, com professores e estudantes mais engajados, oferece o curso "Aprender por projetos" na plataforma do prêmio "Respostas para o amanhã". Realizado em parceria com a organização Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), o curso busca formar professores, coordenadores e demais interessados em desenvolver a aprendizagem por meio de projetos e suas práticas educativas. O curso é gratuito, on-line e conta com certificação para os concluintes.

O "Aprender por projetos" é um curso autoformativo, sendo o participante responsável por seguir as trilhas do conhecimento, apresentadas no site de modo bastante pedagógico e didático, até a formação ser concluída.

"Com o curso, os professores podem acessar uma metodologia que possibilita maior integração com os diversos conhecimentos, além de preparar os estudantes para o pensamento crítico, trabalho em equipe e outras oportunidades de desenvolver competências. O envolvimento deixa o cotidiano escolar mais dinâmico", comenta Isabel Costa, gerente de cidadania corporativa da Samsung Brasil.

"Trabalhar por projetos na sala de aula é uma estratégia para aproximar os estudantes dos conteúdos curriculares, por meio de atividades práticas e conectadas com seu cotidiano. Especialmente no ensino médio, essa é uma possibilidade para promover a investigação científica e o trabalho colaborativo na escola", avalia Mônica Gardelli Franco, diretora executiva do Cenpec Educação.

O "Aprender por projetos" estimula o desenvolvimento de trabalhos em grupo e interdisciplinares e é dividido em seis módulos:
 
1º módulo: conhecimento sobre projetos e escolha de temas
2º módulo: investigação para produção de conteúdo
3º módulo: visão histórica do trabalho com projetos
4º módulo: indagação e argumentação
5º módulo: projetos e currículos pré-definidos
6º módulo: adaptação do roteiro e aplicação à realidade escolar.

O curso não é uma condição para a inscrição no prêmio, tampouco é voltado exclusivamente aos professores participantes da iniciativa. Porém, segundo Isabel Costa, "a iniciativa é essencial para quem participa do prêmio, pois a aprendizagem da metodologia faz com que os planos estejam alinhados aos objetivos, qualificando ainda mais as equipes participantes".

Não há prazo para concluir o curso, mas o certificado somente será emitido depois da realização das atividades obrigatórias dos módulos obrigatórios 1, 3, 5 e 6.

Prêmio Respostas para o Amanhã

O prêmio "Respostas para o amanhã" difunde e estimula projetos de investigação científica e/ou tecnológica dos alunos do ensino médio da rede pública, sob orientação de professores, visando a melhoria da vida das comunidades nas quais estão inseridos.

No Brasil desde 2014, o prêmio contabiliza 5,7 mil inscrições, mais de 18 mil projetos recebidos, mais de 4 mil escolas participantes, 10,2 mil professores envolvidos e mais de 153 mil estudantes participantes. 

As inscrições ocorrem até 17 de junho de 2019. Vinte projetos serão selecionados para a fase seguinte e divulgados em 1º de agosto. Entre eles, 10 passarão à final e serão conhecidos em 28 de agosto.

Em setembro, a avaliação da comissão julgadora definirá três vencedores nacionais, que serão anunciados no dia 30 do mesmo mês. A equipe melhor classificada será convidada a apresentar o projeto na etapa regional com os demais vencedores de países da América Latina.

No período de 23 a 29 de setembro, ocorrerá a votação pelo júri popular no site do prêmio, quando serão escolhidos três vencedores na categoria dentre os 10 projetos finalistas. 

Vale registrar que o programa conta com a parceria da representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco no Brasil), da Rede Latino-Americana pela Educação (Reduca) e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), além do apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade