UAI
Publicidade

Estado de Minas RETOMADA

Com vacinação, mais de 60% das empresas planejam volta ao presencial

Por outro lado, 30,1% das companhias adotarão um regime híbrido, com parte dos funcionários em home office e outra parte no escritório


19/10/2021 16:38 - atualizado 19/10/2021 18:01

Pessoas em escritório de máscara, imagem da internet
Mais de 60% das empresas brasileiras planejam voltar ao trabalho presencial (foto: Freepik/Reprodução)
Após 19 meses de pandemia, o Brasil finalmente chega à marca de 106 milhões de pessoas totalmente vacinadas, o que representa 50% da população. Com o avanço da imunização, 62,1% das empresas brasileiras planejam voltar ao trabalho presencial. 

É o que aponta a pesquisa realizada pela empresa Dimep, fabricante de sistemas de controle de ponto do país. O levantamento contou com a participação de representantes de mais de 200 empresas de diferentes setores.

Por outro lado, 30,1% das companhias adotarão um regime híbrido, com parte dos funcionários em home office e outra parte no escritório. O trabalho remoto, com idas ao escritório apenas em situações muito específicas, deve ser adotado por 4,4% das empresas. 

Uma pequena parcela, de 2,4%, das instituições entrevistadas afirmou que deve abandonar de vez os escritórios e manter todos os funcionários em casa. Outras 0,5% das companhias responderam que somente cargos de liderança devem voltar ao trabalho presencial.    

“O levantamento mostra uma reposta positiva para o retorno ao trabalho presencial, uma vez que as empresas já se sentem seguras após a vacinação completa dos funcionários”, explica Shirlei Lima, líder de Softwares da Dimep Sistemas.    

Segundo a especialista, os hábitos que se tornaram parte do cotidiano da população, como uso de máscara, álcool em gel e o respeito ao distanciamento social, também colaboraram para a decisão. 

Qual o melhor momento para o retorno do trabalho presencial? 


A pesquisa avaliou, ainda, em que momento as empresas devem retomar o trabalho presencial. Das entrevistadas, 36,3% afirmaram que a volta ao escritório deve ocorrer apenas após a vacinação completa de todos os colaboradores. Outras 34,2% indicaram que irão retomar o modelo de presencial, mesmo que boa parte dos funcionários não esteja imunizada.    

Quanto a exigência da carteira de vacinação, 35,1% das instituições pretendem exigir o documento de comprovação da imunização. 

A exigência, no entanto, é de natureza delicada. No Brasil, a Lei Geral de Proteção de Dados classifica informações referentes à saúde como dados sensíveis, e seu compartilhamento ou vazamento é ilegal.     

Incentivo à vacinação 


Em relação ao incentivo das empresas para que os funcionários se imunizem, 95,6% das instituições afirmaram que liberaram seus funcionários para se vacinar durante o horário de trabalho, na data indicada pelas prefeituras municipais. 

Uma parcela de 4,4% afirma que não permitiu a saída dos trabalhadores para a imunização em horário comercial. 

O estudo ainda revelou a quantidade de empresas que realizaram a vacinação contra COVID-19 internamente. Do total, 93% das companhias afirmaram que não adotaram esse procedimento, mas 7% responderam que disponibilizaram vacinas para seus funcionários.    
 
* Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade