Publicidade

Estado de Minas MERCADO

Economia compartilhada: aluguel de piscinas vira negócio lucrativo

Nos EUA, onde começou, o negócio cresceu mais de 3.000% durante a pandemia. Agora, chega ao Brasil. Opção de renda extra


26/04/2021 15:15 - atualizado 26/04/2021 15:17

Marcos Vieira, diretor de tecnologia e co-fundador do Dovizin, diz que como há 10 anos as pessoas não sabiam que poderiam compartilhar o carro, saberão que podem curtir uma piscina com a família e os amigos em outro quintal(foto: Dovizin/Divulgação)
Marcos Vieira, diretor de tecnologia e co-fundador do Dovizin, diz que como há 10 anos as pessoas não sabiam que poderiam compartilhar o carro, saberão que podem curtir uma piscina com a família e os amigos em outro quintal (foto: Dovizin/Divulgação)


Novidade de negócio no Brasil. Já pensou em alugar sua piscina e gerar uma renda extra? Na chamada economia compartilhada, este modelo de negócio chega ao Brasil como atração para muitos empreendedores impulsionada pelo sucesso nos Estados Unidos, onde o aluguel de piscinas já é um sucesso, impulsionado por ser o país com maior número de piscinas residenciais do mundo (10 milhões). O Brasil é o segundo, com três milhões. Ou seja, há mercado. 

Com este nicho em aberto, o Dovizin, plataforma de aluguel de piscinas que oferece às pessoas uma opção de lazer (para os hóspedes) e fonte mensal de renda (para os anfitriões), é pioneira no mercado nacional.

“Assim como há 10 anos as pessoas não sabiam que poderiam compartilhar o carro com desconhecidos ou alugar um quarto em uma casa, em pouco tempo as pessoas saberão que podem curtir uma piscina e fazer um churrasco com a família e os amigos no quintal Dovizin. Essa é uma possibilidade recém-chegada ao Brasil, graças ao conceito de economia compartilhada”, destaca Marcos Vieira, diretor de tecnologia e co-fundador do Dovizin. 

Nos últimos anos, o conceito de economia compartilhada ganhou visibilidade no mundo todo. A pandemia afetou nichos específicos, como aplicativos de carona e de aluguel de quartos e casas. Por outro lado, outras áreas se beneficiaram, como serviços de delivery.

Neste contexto,  o Dovizin (www.dovizin.com) abraça o aluguel de piscinas: “Essa é uma possibilidade recém-chegada ao Brasil. Piscina é um bem a que poucos têm acesso, mas que muitos gostariam de utilizar. Assim como nos EUA, esse modelo de economia compartilhada fará parte do estilo de vida do brasileiro, oferecendo a milhões de pessoas uma nova opção de lazer e renda”, acredita Marcos Vieira.

Com a pandemia, as pessoas têm evitado aglomerações e em geral preferem uma opção mais reservada (e às vezes mais barata) do que hotéis, clubes ou praias. Nos Estados Unidos, a plataforma Swimply teve, segundo o “US Today”, aumento de 3.300% nas reservas durante a pandemia. Os EUA são o país com o maior número de piscinas residenciais do mundo (10 milhões). O Brasil é o segundo, com três milhões. Depois, estão França (2,7 milhões), Espanha (1,5 milhão), Alemanha (1 milhão) e Itália (600 mil).

A diária de uma casa com piscina em região nobre de São Paulo custa em média R$ 500 ao dia. Os anfitriões do Dovizin cobram em média R$ 80 a hora para uma reserva de até cinco pessoas. Ou seja: em seis horas o anfitrião do Dovizin gera uma receita similar ao que ganharia em 24 horas em plataformas de aluguel por temporada.

Marcos Vieira, diretor de tecnologia e co-fundador do Dovizin.

Lançado há um mês, o Dovizin se ocupou inicialmente em testar todas as funcionalidades, para certificar-se que o serviço funciona independentemente do número de pessoas que acessem, sejam anfitriões, hóspedes, ou simplesmente pessoas que gostariam de conhecer a novidade.

Com tudo ajustado, a empresa começa a trabalhar o marketing e a parte comercial para buscar clientes nas duas pontas do negócio: anfitriões e hóspedes.

A plataforma já tem anfitriões em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Distrito Federal, Goiás, Pará, Ceará, Sergipe e Pernambuco.  E, sim, Minas Gerais. A primeira cidade a receber, na última semana, foi Uberlândia. Segundo os diretores da empresa, a expectativa é expandir rapidamente e atingir 250 anfitriões já em maio e 2 mil até o final do ano. 

Piscina em Florianópolis(foto: Dovizin/Divulgação)
Piscina em Florianópolis (foto: Dovizin/Divulgação)


VANTAGENS PARA ANFITRIÕES E HÓSPEDES 

Anfitrião: o Dovizin permite que pessoas que tenham piscina em casa gerem uma renda extra mensal por meio de um espaço (no caso, a piscina) que, na maioria das vezes, é subutilizado e custa caro para manter. O modelo de cobrança por hora torna o espaço mais rentável que o modelo de diárias cobrado em plataformas de aluguel por temporada. Por exemplo, a diária de uma casa com piscina em região nobre de São Paulo custa em média R$ 500 ao dia.

Os anfitriões do Dovizin cobram em média R$ 80 a hora para uma reserva de até cinco pessoas. Ou seja: em seis horas o anfitrião do Dovizin gera uma receita similar ao que ganharia em 24 horas em plataformas de aluguel por temporada. E se a reserva for para mais do que cinco pessoas, a receita obtida pelo anfitrião é ainda maior, já que há um preço adicional a partir do sexto convidado.

O modelo Dovizin é mais flexível do que o oferecido pelas plataformas de aluguel por temporada, na medida em que os anfitriões podem receber várias reservas em um mesmo dia. Eles podem até mesmo optar por receber reservas apenas na parte da tarde, caso estejam ocupados na parte da manhã.

É, também, um modelo menos invasivo do que o oferecido pelas plataformas de aluguel por temporada, na medida em que os hóspedes do Dovizin apenas têm acesso à área externa da casa, listada no anúncio, enquanto nas outras plataformas com modelo por diárias, o anfitrião precisa disponibilizar para os hóspedes o acesso à casa inteira.

Hóspede: piscinas são um bem a que poucos têm acesso, porém muitos querem utilizar. Nos EUA, apenas 4% das famílias têm piscina em casa, enquanto os outros 96% têm que recorrer a clubes, parques e piscinas comunitárias. Essa disparidade é ainda maior no Brasil.

Neste contexto, o Dovizin se torna uma opção de lazer para quem, busca sair da rotina e curtir uma piscina com privacidade e segurança. Em tempos de pandemia, o Dovizin se torna uma opção ainda mais interessante, já que as pessoas têm evitado aglomerações e optam por programas mais reservados (e às vezes mais baratos) do que hotéis, clubes, parques e praias.

A plataforma também busca nichos de mercado, como instrutores com pequenos grupos de alunos de natação ou hidroginástica e ensaios fotográficos.

PROTOCOLOS DE SEGURANÇA, HIGIENE E OUTRAS QUESTÕES 

Piscina em Salto de Pirapora, em São Paulo(foto: Dovizin/Divulgação)
Piscina em Salto de Pirapora, em São Paulo (foto: Dovizin/Divulgação)

  • Como o projeto nasceu durante a pandemia, a plataforma foi desde o início com a preocupação da segurança nos mais variados aspectos.
  • A plataforma tem um sistema automatizado de check-in/check-out, no qual o anfitrião faz o check-in e o check-out do hóspede sem exigir contato direto entre as partes. Além disso, há um sistema integrado de troca de mensagens, através do qual hóspede e anfitrião podem se comunicar durante a reserva, o que evita contato físico. Segundo um artigo a respeito da plataforma norte-americana, nos Estados Unidos 90% dos anfitriões nunca se encontram com os hóspedes.
  • Há uma página com recomendações de biossegurança, onde foram incluídas as melhores práticas coletadas diretamente de órgãos de saúde dos EUA e do Brasil. Nesta página, são recomendados o uso de máscara, distanciamento social entre hóspedes e anfitriões, higienização constante das mãos e superfícies de contato (mesas, cadeiras e maçanetas, entre outros), o não compartilhamento de objetos pessoais (como óculos de sol e toalhas) e que a pessoa fique em casa caso apresente quaisquer sintomas.
  • A plataforma obriga que sempre haja pelo menos uma hora entre reservas para garantir tempo suficiente para o anfitrião higienizar o espaço para a chegada do próximo hóspede ou grupo de hóspedes. Além disso, esse tempo de pelo menos uma hora garante que um grupo de hóspedes ao fazer o check-in não se encontre com outro grupo que está fazendo o check-out. Por exemplo, se houver uma reserva das 10h às 13h, o calendário daquela piscina ficará bloqueado das 9h às 14h. 
  • Um ponto importante é que, conforme publicado por agências de Saúde dos EUA, o cloro da piscina mata o vírus, o que significa que piscinas são um ambiente seguro em meio à pandemia. 
  • Assim como plataformas de aluguel de casas por temporada não conseguem fiscalizar o que acontece dentro das casas, o Dovizin não consegue fiscalizar o que se passa em cada piscina. No entanto, a empresa criou um sistema de reputação, onde anfitriões e hóspedes se avaliam ao final de cada reserva. Se a empresa recebe qualquer reclamação, há a análise do ocorrido e a empresa pode a qualquer momento suspender a anúncio do anfitrião ou o cadastro do hóspede, até que o problema seja solucionado. Além disso, a plataforma conta com a ferramenta “Reportar Problema”, através da qual ambos (hóspedes e anfitriões) podem informar sobre ocorrências de qualquer natureza antes, durante ou após o período da reserva.
  • A plataforma intermedia o processo de locação entre hóspedes e anfitriões. O público-alvo é formado por famílias e pequenos grupos que desejam passar algumas horas em uma piscina. Dessa forma, uma das maneiras encontradas para criar um ambiente mais controlado foi limitar em 14 o número máximo de pessoas por reserva. Com menos pessoas, o risco de incidentes é menor.  O Dovizin também permite que o anfitrião crie as suas próprias regras (“Minha piscina, minhas regras”): se, por exemplo, permite bebidas alcoólicas, crianças, animais de estimação, som alto e, até mesmo, definir um limite máximo de pessoas inferior ao estabelecido pela plataforma. O anfitrião pode sempre optar por declinar uma reserva recebida, com base no número de convidados, perfil e avaliações do hóspede. 
  • Para se cadastrar na plataforma, anfitriões e hóspedes têm que ser maiores de idade.
  • Em breve os anfitriões do Dovizin terão a opção de contratar um seguro válido durante o período da reserva.  Este modelo de seguro foi desenvolvido exclusivamente para o Dovizin em parceria com uma grande empresa de seguros.
  • É de responsabilidade dos anfitriões manterem suas piscinas (e o entorno das mesmas) limpas, seguras e em boas condições. É de responsabilidade dos hóspedes respeitarem as regras do anfitrião e boas práticas de segurança.
  • O Dovizin pede os números de documentos para todos os usuários. Os anfitriões enviam fotos frente e verso de suas carteiras de identidade ou motorista. Com estes números de documentos em mãos, o departamento de Compliance utiliza uma empresa especializada em background checks para verificar as duas pontas (anfitrião e hóspede) antes de aprovar uma reserva, o que propicia um ambiente mais seguro na plataforma. 
  • A plataforma tem um sistema automatizado no qual o anfitrião realiza o check-in e o check-out do hóspede, sem exigir o contato direto entre as partes. O hóspede submete, através da plataforma, a lista de convidados com nome, faixa etária e número de documento antes do início da reserva. O Dovizin disponibiliza essa lista para o anfitrião, com exceção dos números de documentos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade