Publicidade

Estado de Minas #PRAENTENDER

Imposto de Renda 2021: entenda as mudanças na declaração

Entrega do IR deve ser feita até 30 de abril. Uma das novidades é a devolução do Auxílio Emergencial recebido indevidamente durante a pandemia de COVID-19


05/03/2021 16:10 - atualizado 05/03/2021 18:59

Chegou a hora de acertar as contas com o Leão. Até às 23h59 do dia 30 de abril, os contribuintes precisam declarar o Imposto de Renda 2021. Uma das principais novidades da declaração deste ano envolve o auxílio emergencial.

 

Quem teve rendimentos acima de R$ 22.847,76 em 2020 e também recebeu o auxílio emergencial pago pelo governo federal devido à pandemia de COVID-19 é obrigado a declarar no Imposto de Renda e deve devolver o valor recebido indevidamente do auxílio emergencial.

 

Deverão ser devolvidas apenas as parcelas de 600 reais (ou de 1.200 reais, no caso de mães solteiras). O auxílio emergencial residual não precisa ser devolvido, mas deve ser declarado.

 

Veja esse vídeo #PRAENTENDER as principais mudanças do Imposto de Renda 2021, além de dicas de contadores para fazer a declaração corretamente.

 

Declaração simples, complexa ou pré-preenchida?

 

Uma das dúvidas mais comuns na hora de declarar é se o contribuinte deve optar pela declaração simples ou complexa. Cada modelo é indicado para um público diferente. Enquanto a versão simples é indicada para pessoas que têm poucas despesas a deduzir, a versão complexa é indicada para quem tem direito a muitas deduções, como dependentes, planos de saúde e educação.

 

O contador Daniel Calderon recomenda, sempre que possível, que o contribuinte opte por usar a declaração pré-preenchida. Por meio dessa declaração, o contribuinte recebe um formulário com os seus dados fiscais preenchidos, bastando apenas confirmar as informações e, caso tenha erros, é possível corrigir e complementar as informações. Esses dados são colhidos a partir de documentos enviados por terceiros à Receita.

 

“Facilitou para quem quiser, dentro da tecnologia, conseguir puxar as informações que já aparecem na Receita Federal”.

 

Como evitar a malha fina?

A malha fiscal, popularmente conhecida como malha fina, ocorre quando a Receita Federal seleciona uma declaração para realizar análises aprofundadas. Essa escolha ocorre quando há inconsistências entre os valores apresentados pelo contribuinte e os valores apresentados por entidades que prestam contas para a Receita, como planos de saúde, empresas e instituições financeiras.

 

Saber como evitar a malha fina é importante porque as declarações retidas precisam passar pela análise da receita antes de serem liberadas para receber restituições.

 

Para o contador Adeilson Mendes, um dos principais erros que levam uma declaração a ser retida é inventar valores para as despesas dedutíveis.

 

“Um fator recorrente que faz as pessoas caírem na malha fina é informar despesas médicas ou com educação que não são comprovadas. Você pode deduzir aquelas despesas que você tem comprovante. Muitas vezes, para abaixar o imposto de renda, a pessoa cria uma despesa que não existiu ou que não tem um comprovante, e isso é motivo passível de cair na malha fina”.

 

Saque emergencial do FGTS e demais mudanças

Além do auxílio emergencial, outro benefício entregue para ajudar a população que teve queda de rendimentos devido à pandemia da COVID-19 foi o direito ao saque emergencial do FGTS. Ambos os benefícios precisam ser declarados no Imposto de Renda 2021.

 

É bom ficar atento às novas regras do Imposto de Renda para não cometer erros na declaração. Acesse e baixe o programa de declaração do Imposto de Renda 2021 no site da Receita Federal.

 

(*)Estagiário sob supervisão do subeditor Rafael Alves


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade