Publicidade

Estado de Minas REFLEXOS DA PANDEMIA

COVID-19: Consumo de bebidas alcoólicas caiu durante a pandemia

Um estudo mostra que entre 2016 e 2019, os gastos dos brasileiros com bebidas dispararam. Já no ano passado, houve um recuo de 26,9%


17/02/2021 20:28 - atualizado 17/02/2021 21:06

Estudo aponta que queda no consumo de bebidas alcóolicas está ligada à recessão provocada pela pandemia(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Estudo aponta que queda no consumo de bebidas alcóolicas está ligada à recessão provocada pela pandemia (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Com a pandemia de COVID-19 e as medidas de isolamento social, muitas pessoas tiveram que mudar hábitos ou se adaptar a outros. Dados do IPC Maps - especializado em potencial de consumo com base em dados oficiais - mostram um crescimento rigoroso em despesas com bebidas alcoólicas nos últimos anos no Brasil. Em 2020, porém, houve uma queda na compra de bebidas. 
 

Segundo Marcos Pazzini, responsável pelo estudo, “entre 2016 e 2019, os gastos no setor dispararam de R$ 25,3 bilhões para R$ 30,6 bilhões em todas as classes sociais”. 

Em 2020, por sua vez, houve um recuo de 26,9%, totalizando R$ 22,3 bilhões desembolsados pelos brasileiros. Em Minas, entre 2016 e 2019, os gastos foram de R$ 2,2 bilhões para R$ 2,6 bilhões. Já no ano passado, houve uma queda de 13,4% em relação a 2019, totalizando R$ 2,3 bilhões na compra de bebidas.

Números em Minas Gerais


Belo Horizonte, entre 2016 e 2019, apresentou crescimento de 7,7% no consumo de bebidas. Em 2020, no entanto, houve um recuo de 19,8%, com mais de R$ 368 milhões gastos nesse setor. 

Governador Valadares mostrou números mais discrepantes. Enquanto entre 2016 e 2019, o município registrou aumento de 48,3% no consumo de bebidas, no ano passado a queda foi de 20,7%, totalizando R$ 31 milhões desembolsados. 

Já Juiz de Fora foi um dos municípios mineiros que não apresentou queda. Se entre 2016 e 2019 houve 13% de crescimento no consumo de bebidas, em 2020 houve aumento de 0,8% em relação ao ano anterior, com R$ 91 milhões gastos. 

Ipatinga e Montes Claros estão entre os grandes municípios mineiros que tiveram as menores quedas no consumo. Entre 2016 e 2019, o crescimento foi de 14,6% e 25,6% e, no ano passado, o recuo foi de 1,4% (R$ 38 milhões) e 8,5% (R$ 44 milhões), respectivamente. 

Combate ao alcoolismo


Apesar dessa queda no consumo, o cenário ainda é preocupante. Para Pazzini, a projeção é que esse tipo de gasto volte a subir, já que seu recuo está ligado à recessão provocada pela pandemia, assim como aconteceu com a maioria dos setores econômicos.

“A procura por bebidas alcoólicas está muito mais ligada a hábitos de consumo de parte da população, principalmente a mais jovem, que vincula diversão ao álcool”, analisa o especialista.

Nesta quinta (18/2), acontece o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, criado para conscientizar a população sobre os males causados pelo consumo excessivo de álcool. 

A doença está relacionada a uma série de complicações no organismo, levando a sequelas irreversíveis e, inclusive, à morte de mais de 3 milhões de pessoas todos os anos no mundo.
 
*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade