Publicidade

Estado de Minas ORÇAMENTO

'Sinal verde' de Bolsonaro para novo programa social pega Guedes de surpresa

Na proposta orçamentária enviada pelo governo ao Congresso não há espaço para novas despesas como o Renda Brasil ou outro programa que Bolsonaro queira criar


16/09/2020 19:36 - atualizado 16/09/2020 19:47

Paulo Guedes, ministro da Economia(foto: Evaristo Sá/AFP)
Paulo Guedes, ministro da Economia (foto: Evaristo Sá/AFP)
Um dia depois de anunciar que estava cancelando o Renda Brasil, programa de assistência social que deveria substituir o Bolsa Família e criticar a equipe econômica, o presidente Jair Bolsonaro pegou o ministro da Economia, Paulo Guedes de surpresa ao combinar com o senador Marcio Bittar (MDB-AC), um novo programa que deverá ser preparado pelo Senado.

Ao sair do Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (16), Bittar confirmou que o presidente “deu sinal verde” para que o Senado elabore um novo programa social para substituir o Renda Brasil.

O senador emedebista é o relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do pacto federativo e está com a relatoria geral do Orçamento de 2021.

O parlamentar tomou café pela manhã com o presidente e participou do almoço com a bancada evangélica.

O emedebista está há vários dias preparando um novo relatório para a PEC do pacto federativo, que trata, entre outros assuntos, da desvinculação de despesas e receitas.

Ele pretende juntar o texto com a PEC emergencial, que trata da regulamentação dos gatilhos automáticos no caso do descumprimento do teto de gastos e previa inicialmente uma economia para os cofres da União de R$ 50 bilhões em 10 anos.

Bittar disse que o relatório que pretende apresentar na semana que vem incluirá o novo programa de assistência social.

 “O que é fundamental é que, a partir de janeiro, o decreto de calamidade vai ter terminado, mas você tem 20 milhões de brasileiros que vão continuar desempregados. E o Estado precisa deixar esses brasileiros irem dormir no dia 31 de dezembro tranquilos com o programa já criado, garantindo dignidade humana”, disse Bittar, em nota divulgada pela assessoria.

Cartão vermelho

 


Em vídeo nas redes sociais, Bolsonaro deu um cartão vermelho para quem deu a ideia de congelamento de aposentadorias para incluir Renda Brasil. Paulo Guedes disse que não era com ele e o caldo entornou para o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, que vazou a proposta em uma entrevista ao portal G1.

No Ministério da Economia, o clima é de tensão e todos estão na espera sobre o desfecho dessa última confusão na pasta. Não há certeza se Waldery continuará na equipe, mas a pasta mantém silêncio sobre o assunto.

Vale lembrar que na proposta orçamentária enviada pelo governo ao Congresso não há espaço para novas despesas como o Renda Brasil ou outro programa que Bolsonaro queira criar.

E, pelas projeções da Instituição Fiscal Independente (IFI), ainda será necessário corte de R$ 20,4 bilhões para que o teto de gastos seja cumprido devidamente.

Logo, Bittar vai ter trabalho para arrumar espaço fiscal para as novas ambições do presidente.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade