Publicidade

Estado de Minas INDÚSTRIA

Faturamento cresce pelo quinto mês consecutivo


postado em 03/12/2019 04:00

Brasília – Os Indicadores Industriais de outubro mostram crescimento de 1,3% do faturamento real na comparação com os números de setembro. Os dados foram divulgados ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esse foi o quinto mês consecutivo de crescimento do indicador, que registra uma alta de 3,5% em relação a outubro do ano passado. A pesquisa também aponta ligeira alta da utilização da capacidade instalada (UCI), que atingiu 78% em outubro, na série livre de influências sazonais. Em setembro, esse indicador estava em 77,9%. Na comparação com o mesmo mês de 2018, a UCI de outubro deste ano ficou 0,5 ponto percentual maior.

O economista da CNI Marcelo Azevedo avalia que a série de alta do faturamento é uma “excelente notícia”, pois abre caminho para uma recuperação mais forte da atividade e até mesmo do emprego nos próximos meses. “A expansão do faturamento é resultado do aumento da demanda, que vem proporcionando o ajuste dos estoques da indústria. A expectativa é que esse aumento da demanda se mantenha e passe a exercer influência cada vez maior na atividade industrial”, diz o economista. Com relação às horas trabalhadas na produção, a pesquisa aponta pequena queda de 0,1% em outubro frente a setembro, na série dessazonalizada. Já na comparação com o mesmo mês do ano passado, há uma alta de 0,1%.

A CNI destaca que a melhora dos indicadores de produção ainda não repercute no mercado de trabalho. O emprego no setor ficou estável em outubro e a massa real de salários caiu 0,7%, com queda no rendimento médio real de 0,3% em outubro frente a setembro, nas séries livres de influências sazonais. Na comparação com outubro de 2018, o emprego registra queda de 0,3%, a massa real de salários tem queda de 1,9% e o rendimento médio do trabalhador ficou 1,6% menor.


Venda de veículos aumenta
A venda de veículos novos cresceu 4,9% em novembro ante igual mês do ano passado, informou ontem a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Foram 242,3 mil unidades vendidas, em soma que considera automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O volume, contudo, se comparado a outubro, representa queda de 4,3%. O recuo em relação a outubro se deve à diferença de dias úteis. Enquanto novembro contou com 20 dias úteis, outubro teve 22. Tanto é que, na comparação entre médias diárias, a variação passa a ser positiva em 5%, para 12,1 mil carros vendidos por dia. Novembro do ano passado teve o mesmo número de dias úteis que o deste ano. No acumulado do ano até o mês passado, as vendas chegaram a 2,52 milhões de unidades na soma de todos os segmentos, alta de 8,3% sobre o volume registrado em igual período de 2018. Os automóveis e comerciais leves, que representam mais de 90% do setor, registraram 230,9 mil emplacamentos no penúltimo mês de 2019, crescimento de 4,3% em comparação a igual mês do ano passado, mas queda de 4,2% ante outubro. O ano acumula 2,4 milhões de unidades vendidas, avanço de 7,2%. Entre os pesados, as vendas de caminhões atingiram 9,1 mil unidades em novembro, expansão de 18% ante igual mês do ano passado, porém recuo de 3,5% na comparação com outubro.


Publicidade