Publicidade

Estado de Minas

BDMG oferece 100 milhões de euros para projetos de energia limpa

Maior linha de crédito internacional da história do banco mineiro, dinheiro virá do Banco Europeu de Investimento para iniciativas de economia sustentável


postado em 21/10/2019 13:39 / atualizado em 21/10/2019 17:01

Contrato foi assinado nesta segunda-feira, em Luxemburgo, por Emma Navarro, vice-presidente do BEI, e Sergio Gusmão, presidente do BDMG(foto: BDMG/Divulgação)
Contrato foi assinado nesta segunda-feira, em Luxemburgo, por Emma Navarro, vice-presidente do BEI, e Sergio Gusmão, presidente do BDMG (foto: BDMG/Divulgação)

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) assinou nesta segunda-feira, em Luxemburgo, um contrato para captação de 100 milhões de euros com o Banco Europeu de Investimento (BEI). Os recursos serão usados para financiamentos no estado de projetos relacionados à economia sustentável, especialmente voltados para a geração de energia limpa (energia solar fotovoltaica, PCHs, usinas de bioenergia etc) e eficiência energética.

Poderão pleitear os recursos projetos públicos ou privados com custo máximo de 50 milhões de euros. O prazo para pagamento será enter 10 anos e 13 anos e, de acordo com o presidente da instituição, Sérgio Suchodolski, a estimativa é que sejam aplicadas taxas de juros inferiores àquelas aplicadas no mercado. 

“As taxas de juros são negativas na Europa e a gente aproveitou essa janela para captar esses recursos. Vamos chegar ao Brasil em termos muito bons, muito competitivos, e não tem nenhuma garantia do Estado, ou seja, não pressiona o Estado de nenhuma maneira”, afirmou Suchodolski. 

Segundo o presidente do BDMG, a expectativa é que o recurso seja disponibilizado para os projetos selecionados em poucas semanas, em fases, podendo chegar a até 20 repasses. As taxas cobradas levarão em conta a análise de crédito de cada cliente. Não há qualquer contrapartida financeira por parte do governo mineiro. 

“O BDMG é controlado pelo estado mas é independente, ou seja, nós nunca tivemos nenhum recurso do estado. Essa é uma grande vantagem, contar com um banco como o nosso, que nos permite fazer essa captação da ordem de mais de R$ 450 milhões, que estarão disponíveis para essa área de sustentabilidade”, comentou. 

O presidente do BDMG ressaltou ainda que este é o maior volume de recursos negociados na história do BDMG e será fundamntal para o desenvolvimento do setor energético, especialmente no Norte de Minas. 

Dados do BDMG apontam que entre janeiro e setembro foram desembolsados R$ 31 milhões para projetos de energia solar fotovoltaica – um dos principais focos da parceria entre a instituição e o BEI. O valor é 142% superior ao liberado no mesmo período de 2018. 

Criado em 1958 e sediado em Luxemburgo, o Banco Europeu de Investimento é uma das maiores instituições multilaterais no mundo. Nos últimos cinco anos, concedeu mais de 65 bilhões de euros em  financiamentos para energia renovável, eficiência energética e distribuição de energia.


Publicidade