Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Preço da gasolina recua em Minas, DF e 17 Estados, diz ANP

Queda no estado foi maior do que a da média nacional. Preço do etanol está competitivo em apenas cinco Estados


postado em 26/08/2019 12:15 / atualizado em 26/08/2019 12:56

(foto: Flickr)
(foto: Flickr)

O valor médio da gasolina vendido nos postos brasileiros recuou em 18 Estados brasileiros e no Distrito Federal na semana passada, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilados pelo AE-Taxas. Houve alta em outros oito Estados.

Na média nacional, o preço médio caiu 0,14% na semana sobre a anterior, de R$ 4,326 para R$ 4,320.

Em São Paulo, maior consumidor do País e com mais postos pesquisados, o litro da gasolina subiu 0,07%, de R$ 4,083 para R$ 4,086, em média.

No Rio de Janeiro, o combustível avançou 0,10%, de R$ 4,808 para R$ 4,813, em média.

Em Minas Gerais o preço médio da gasolina recuou 0,35%, de R$ 4,591 para R$ 4,575 o litro.

 

Etanol

Já os preços médios do etanol continuaram vantajosos ante os da gasolina em cinco Estados brasileiros na semana passada - Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo e Paraná - todos grandes produtores do biocombustível.

O levantamento da ANP compilado pelo AE-Taxas considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido, em média, por 59,86% do preço da gasolina, em Goiás a 64,50% e em Minas Gerais a 62,30%.

Em São Paulo a paridade ficou em 64,68% e no Paraná em 69,12%.

Na média dos postos pesquisados no País, a paridade é de 65,97% entre os preços médios de etanol e gasolina, também favorável ao biocombustível.

A gasolina segue mais vantajosa em Roraima, com a paridade de 94,98% para o preço do etanol.

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade